RELIGIÃO

População canta música evangélica e impede suicídio de homem; veja vídeo

O caso aconteceu em Patos de Minas, Minas Gerais. ''Se você desistiu, Deus não vai desistir. Ele está aqui para te levantar se o mundo te fizer cair'', diz um trecho da música cantada

JC Online
JC Online
Publicado em 07/01/2020 às 21:27
Reprodução de vídeo
O caso aconteceu em Patos de Minas, Minas Gerais. ''Se você desistiu, Deus não vai desistir. Ele está aqui para te levantar se o mundo te fizer cair'', diz um trecho da música cantada - FOTO: Reprodução de vídeo
Leitura:

Atualizada às 18h28 de 9 de janeiro

Um homem que estava prestes a se jogar da janela de um prédio na cidade de Patos de Minas, em Minas Gerais, desistiu depois de ouvir um grupo de pessoas cantando um louvor gospel, o incentivando a não desistir da vida. O caso, registrado em vídeo, aconteceu em dezembro de 2019, mas começou a repercutir na internet neste mês de janeiro.

Leia mais:

Conheça Anderson Freire, autor da música cantada por evangélicos para evitar suicídio

Evangélicos movimentam um mercado de R$ 21,5 bilhões

Blogueira de moda evangélica criou o Gospel Fashion Day

Evangélicos do PT defendem interpretação da Bíblia para práticas inclusivas e plurais

Em fala para evangélicos, Bolsonaro diz que eleição dele 'teve propósito divino'

Música Gospel movimenta um mercado de R$ 2 bilhões por ano

A música interpretada em frente ao prédio foi "Raridade", do cantor capixaba Anderson Freire, um dos principais nomes da música gospel brasileira. "Você é um espelho que reflete a imagem do Senhor. Não chore se o mundo ainda não notou, já é o bastante Deus reconhecer o seu valor. Você é precioso, mais raro que o ouro puro de Ofir. Se você desistiu, Deus não vai desistir. Ele está aqui para te levantar se o mundo te fizer cair", diz o refrão.

Veja o vídeo do momento:

Após desistir de pular, o homem foi resgatado por uma equipe do Corpo de Bombeiros que estava no local.

Em entrevista ao JC, o cantor e compositor Anderson Freire, autor da canção Raridade, disse que as pessoas que presenciaram o fato e louvaram Raridade foram ousadas. "Elas foram ousadas e se permitiram, na ousadia, em serem usadas pelo Espírito Santo. Na verdade, ali, o poder foi do Espírito Santo", disse o compositor.

>> ''Aquelas pessoas foram ousadas'', diz Anderson Freire sobre música que impediu homem de se matar

Ouça a música cantada no vídeo:

Conheça Anderson Freire

"Cantor, compositor, servo do reino". É assim que o cantor Anderson Freire se define nas redes sociais. Com 2,4 milhões de seguidores, Anderson é um verdadeiro fenômeno da música gospel. Anderson lançou Identidade, o primeiro disco da carreira solo no início de 2011. Depois lançou Raridade (2013). Ele ainda gravou os álbuns Anderson Freire e Amigos (2014), Deus não Te Rejeita (2016), que lhe rendeu uma vitória no Grammy Latino, e Contagem Regressiva (2018).

Ver essa foto no Instagram

Feliz 2020 . Valeu meu sobrinho @andrefreirecompositor por ser essa gota de graça em minha vida .

Uma publicação compartilhada por Anderson Freire ???? (@andersonrfreireoficial) em

Prevenção ao suicídio

O Centro de Valorização da Vida (CVV), entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente, também oferece um apoio para a prevenção ao suicídio, através do número de telefone 188 e por e-mail e chat durante 24 horas.

O posto do CVV no Recife funciona na Rua Manoel Borba, 99, no bairro da Boa Vista. O atendimento não exclui a necessidade de as pessoas com comportamento suicida terem acompanhamento psiquiátrico.

Em números absolutos, Pernambuco é a sétima Unidade da Federação com mais casos notificados de violência autoprovocada (pensamento suicida, automutilações e tentativas de suicídio) entre jovens de 15 a 29 anos, segundo boletim epidemiológico divulgado em agosto de 2019 pelo Ministério da Saúde. O panorama corresponde a dados acumulados entre 2011 (ano em que a notificação de tentativas e mortes por suicídio passou a ser obrigatória no Brasil em até 24 horas) e 2018. Ainda em relação ao Estado, chama a atenção o aumento de registros, na mesma faixa etária, no período de 12 meses: saiu de 998 casos, em 2017, para 1.693 no ano passado.

Janeiro Branco alerta para os cuidados com a saúde mental

Com um dos maiores índices de ansiedade e depressão do mundo, o Brasil ocupa hoje o oitavo lugar em incidência de suicídos. Portanto, "falar de saúde mental é uma questão de saúde pública, e é tão normal quanto ir a outro médico", pondera Vitor Barros Rêgo, psicólogo e coordenador da Campanha Janeiro Branco, promovida pelo Conselho Regional de Psicologia do Distrito Federal (CRP-DF), em entrevista ao programa Tarde Nacional, da Rádio Nacional da Amazônia.

Seja por medo, vergonha ou desconhecimento sobre a atuação de um profissional, a campanha visa derrubar o preconceito ao redor do tema e trazer qualidade de vida ao cidadão. E chama a atenção para o fato de que falar sobre os sentimentos não pode ser uma ação exclusiva aos consultórios. Para isso, Vitor fala sobre educarmos nossas emoções. "São muitos os padrões que colocam para a gente e nos aprisionam. E aprisionam também nossas emoções. É necessário fazer essa reflexão para evitar chegar em um quadro mais complexo", complementa ele.

Atividade física e os benefícios para a saúde mental

O equilíbrio do corpo e da mente é o segredo para se manter saudável. Pensando nisso, a campanha Janeiro Branco levanta uma discussão bastante importante para a população brasileira: os cuidados com a saúde mental. A proposta é mobilizar as pessoas e quebrar o tabu sobre as doenças que afetam a mente. Outro ponto fundamental que merece destaque: a atividades físicas funciona como remédio natural e ajuda no combate a depressão, por exemplo. A revisão de mais de 30 estudos publicada no jornal norte-americano JAMA Psychiatry constatou que os exercícios estão diretamente ligados à diminuição dos sintomas da depressão. Leia a matéria completa no Blog Vida Fit.

Podcast 'O Fato É...' trata do suicídio

O suicídio é a causa de 800 mil mortes no mundo todos os anos, a segunda maior causa entre os jovens. É uma epidemia e é tratada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como prioridade de saúde pública. Mas também é um tabu na sociedade. No episódio desta semana do podcast - Amarelo 188, referente à campanha Setembro Amarelo e ao número de atendimento do Centro de Valorização da Vida (CVV) -, Rafael Carvalheira e Leonardo Spinelli esclarecem por que precisamos falar abertamente sobre o suicídio.

A empresária Carla Aymar relata sua experiência de renascimento, a psicanalista Paula Fontenelle aprofunda conceitos e dados científicos, a psicóloga Ana Andrade Lima conta sobre a rotina com alunos do Instituto Capibaribe, o voluntário Roberto Maia Filho detalha o trabalho no atendimento do Centro de Valorização da Vida e a jornalista Cinthya Leite conversa sobre a responsabilidade de tratar o tema na imprensa.

Últimas notícias