BRONZEAMENTO

Além de biquíni, fita isolante vira moda para sunga neste verão

A criação promete bronze perfeito. Muitos dermatologistas não recomendam a prática

Amanda Azevedo
Amanda Azevedo
Publicado em 13/01/2020 às 19:14
Notícia
Filipe Jordão/JC Imagem
FOTO: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

Apesar de não recomendados por muitos dermatologistas, os biquínis de fita isolante continuam em alta entre as mulheres que buscam uma 'marquinha perfeita de bronzeado'. Agora, no Rio de Janeiro, onde a moda surgiu, o material também virou sunga.

Um repórter da Folha de S.Paulo foi ao Piscinão de Ramos, na Zona Norte do Rio, em busca dos detalhes da novidade. Para os homens, a sunga sair por R$ 40 porque é preciso utilizar uma grande quantidade de fita isolante. A aceitação do público, porém, ainda é baixa. “Faço uma por semana em homem. Para mulher, são umas 40 por dia”, diz Rayane Teixeira, que trabalha na barraca Danny Bronze à Folha.

O biquíni para as mulheres custa R$ 20 por cada uma das duas partes. Um produto chamado creme de parafina é usado como bronzeador. Algumas pessoas chegam a ficar até uma hora sob o sol para conseguir o tão falado 'bronze perfeito'. Neste verão, além do tradicional preto, começaram a aparecer as fitas isolantes em cores neon.

Em 2017, a cantora Anitta popularizou a criação ao aparecer com um biquíni de fita isolante no clipe de “Vai, Malandra”. Na internet, vários vídeos ensinam como fazer. Mas a dica é procurar ajuda profissional. 

A esteticista Eliza Cristina dos Santos, conhecida como Eliza 'Bronze', assistiu a um vídeo no Youtube e buscou trazer o serviço para Pernambuco. "Muitas das minhas clientes vêm de Olinda, mas também tem do Recife, Caruaru e até de Garanhuns”. Após isso, ela percebeu a procura das pessoas por este tipo de procedimento e resolveu investir: realizou diversos cursos de estética e montou o espaço onde realiza este tipo de bronzeamento.

Filipe Jordão/JC Imagem
As clientes precisam realizar esfoliação na pele antes do banho de sol. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Após o processo da esfoliação, as mulheres tomam sol adequado para o tipo de pele. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
As clientes tomam suco para hidratar a pele. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Durante o procedimento, é necessário banho de mangueira. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Durante o procedimento, é necessário banho de mangueira. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Mulheres tomam sol com fita adesiva no lugar do biquíni, no quintal. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Cada tipo de pele terá um momento e um horário do dia para realizar o bronzeamento. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Várias clientes estão realizando o procedimento para divulgar no Carnaval. - Filipe Jordão/JC Imagem
Filipe Jordão/JC Imagem
Mulheres tomam sol com fita adesiva no lugar do biquíni, no quintal, no quintal de Eliza. - Filipe Jordão/JC Imagem

Muitos dermatologistas não recomendam biquíni de fita isolante

Muitos dermatologistas não recomendam o uso de fita isolante no corpo, já que pode causar alergia ou até derreter sob o sol, causando feridas na pele no momento de descolar. Os fabricantes do creme de parafina utilizado desaconselham exposição prolongada ao sol com o produto.

Para aquelas pessoas que não desejam se arriscar com a fita adesiva, existem outros tipos de se conquistar o bronze 'perfeito'. A dermatologista Márcia Horowitz apresenta outros métodos que as pessoas conseguem ganhar a mesma tonalidade do sol.

Uma delas é o bronzeamento a jato, que diversas clínicas de estética oferecem. A outra forma seria a de hidratantes com autobronzeador. "Esses bronzeadores vão conter substâncias que vão agir na camada superficial da pele e acabar ganhando a mesma tonalidade de bronzeamento no sol", ressalta.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias