COVID-19

Após confirmação de primeiro caso, diretor da OMS diz que Brasil tem 'grau de preparação bom' para lidar com coronavírus

O diretor disse também que, apesar do preparo do país, diante de uma nova doença é preciso revisar o plano de preparação e buscar superar eventuais lacunas nele

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 26/02/2020 às 12:07
Notícia
Foto: Divulgação/Opas/OMS
O diretor disse também que, apesar do preparo do país, diante de uma nova doença é preciso revisar o plano de preparação e buscar superar eventuais lacunas nele - FOTO: Foto: Divulgação/Opas/OMS
Leitura:

Com a confirmação, após exame de contraprova, de que um homem de 61 anos é o primeiro paciente com o novo coronavírus (COVID-19) no Brasil e na América Latina, os olhos do mundo de voltam para a possibilidade da extensão da doença em outro países latino-americanos. Diante disso, o subdiretor da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e do Escritório Regional para as Américas da Organização Mundial da Saúde (OMS), Jarbas Barbosa, afirmou ao JC que "o Brasil tem um grau de preparação bom" para enfrentar epidemias como o COVID-19 e que todos os países da região têm a capacidade fazer o diagnóstico do vírus. 

"O Brasil tem um grau de preparação bom. Tem uma rede de vigilância em saúde bem consolidada, tem capacidade de laboratórios de saúde pública para fazer diagnóstico e tem serviços de saúde estruturados com referência para doenças infecciosas", falou.

» Contraprova confirma primeiro caso de coronavírus no Brasil

» Secretaria de Saúde confirma primeiro caso suspeito de coronavírus em Pernambuco

» Primeiro caso suspeito de coronavírus na Paraíba é de homem que esteve na Itália e desembarcou no Aeroporto do Recife

Segundo Barbosa, esta avaliação positiva sobre as capacidades básicas do Brasil para responder a uma emergência de saúde pública é feita de acordo com regulamento sanitário internacional definido pela OMS.

Ainda de acordo com Jarbas Barbosa, que é pernambucano, o Brasil e todos os outros países das Américas receberam kits para realizar o diagnóstico da doença em pacientes que apresentem os sintomas de contaminação pelo novo coronavírus. "Todos os países têm a capacidade fazer o teste-diagnóstico. Nós fornecemos a todos os países das Américas o kit para diagnóstico", pontuou.

Revisão de plano de preparação

O subdiretor da Opas, disse também que, apesar do preparo do país, diante de uma nova doença é preciso revisar o plano de preparação e buscar superar eventuais lacunas nele. "Sempre diante de uma situação nova, como um novo vírus, uma nova doença, é necessário revisar bem todo plano de preparação, colocá-lo em prática e buscar superar alguma lacuna que ainda pode existir", explicou Jarbas Barbosa.

Primeiro caso suspeito em Pernambuco

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou durante coletiva de imprensa, na noite desta terça-feira (25), que uma passageira do voo 6954, da Companhia Azul, que partiu de São Paulo (Guarulhos) e chegou no Recife com sintomas similares aos do novo coronavírus, é o primeiro caso suspeito da doença no Estado.

A mulher de 51 anos, moradora de Caruaru e que não teve o nome revelado, foi retirada da aeronave e examinada por agentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo encaminhada para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, uma das unidades de referência popular selecionadas para fazer o atendimento especializado de possíveis casos do coronavírus.

Segundo o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, a paciente foi fazer um curso no Norte da Itália, dia 13 de fevereiro. Apresentou febre nos dias 17 e 18 de fevereiro, e atualmente relata dor de garganta e moleza no corpo.

“Importante dizer para população que o Plano de contingência que foi montado pelo Estado de Pernambuco funcionou a contento, tanto por parte do acionamento da Anvisa, como do suporte que foi dado pelo Samu metropolitano da Prefeitura da Cidade do Recife, como a referência para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, que é referência nesses casos. A paciente foi adequadamente transportada, isolada, está fazendo os exames necessários. A partir da mudança do diagnóstico em relação a pacientes oriundos da Itália, ela se enquadra como caso suspeito”.

1º caso suspeito na Paraíba é de homem que desembarcou no Recife

A Secretaria da Saúde do Estado da Paraíba (SES-PB) confirmou, nesta quarta-feira (26), o primeiro caso suspeito de coronavírus no Estado. De acordo com o órgão, o homem, de 59 anos, veio da Itália - país europeu com maior número de casos confirmados e mortes - e desembarcou no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre, na segunda (24). Ainda não se sabe se ele veio no mesmo voo da paciente pernambucana que está sob suspeita do vírus. A Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco (SES-PE) foi contactada pela reportagem para responder se houve triagem no terminal e se há notificação do paciente. Até o momento, apenas um caso de coronavírus foi confirmado no Brasil.

» O que se sabe até agora sobre 1º caso suspeito do novo coronavírus em Pernambuco

» Reforço na saúde para eventuais suspeitas de coronavírus durante Carnaval 2020 de Pernambuco

» Profissionais de saúde do Recife recebem capacitação preventiva ao coronavírus

Segundo o Portal T5, parceiro do Portal NE10, do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC), o homem buscou atendimento médico por conta própria, acompanhado por familiares. Houve coleta para exame e atendimento assistencial, além de ter sido feita a notificação para o Ministério da Saúde, para definição do caso.

O paciente está internado no Hospital Clementino Fraga, na Paraíba, uma das unidades de atendimento de casos suspeitos de coronavírus, e sendo tratado para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), como determina o protocolo do Ministério da Saúde, enquanto aguarda confirmação ou descarte do caso.

O secretário de saúde da Paraíba vai conceder coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (26).

Mapa do coronavírus:

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias