encontro

Chávez e Dilma realizam primeira reunião bilateral depois da era Lula

O encontro gera expectativa em ambos os países, num momento em que o Brasil parece querer redefinir algumas orientações de sua política externa

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 09/05/2011 às 14:14
Leitura:

CARACAS - O presidente Hugo Chávez reúne-se, nesta terça-feira, no Brasil, com a homóloga Dilma Rousseff. Chávez, que qualificou a visita ao Brasil de "muito importante", esteve presente, no dia 1º de janeiro, na solenidade de posse de Dilma, em Brasília, mas, até o momento, problemas de agenda teriam atrasado sua primeira reunião bilateral formal.
   
O encontro gera expectativa em ambos os países, num momento em que o Brasil parece querer redefinir algumas orientações de sua política externa, embora o governo Rousseff tenha reiterado que a América Latina continuará sendo sua prioridade.
   
Os dois chefes de Estado já destacaram, além disso, que desejam continuar  estreitando a cooperação construída nos últimos oito anos e pretendem manter os encontros trimestrais estabelecidos por Luiz Inácio Lula de Silva e Chávez.
   
"Temos uma grande confiança nos passos dados nos últimos oito anos e uma grande confiança nos que ainda daremos nacooperação Brasil-Venezuela", afirmou o ministro venezuelano das Relações Exteriores, Nicolas Maduro, ao receber, em fevereiro, em Caracas, o seu par brasileiro, Antonio Patriota.
   
O responsável pela diplomacia brasileira garantiu, por sua vez, o compromisso brasileiro "com o estreitamento da relação bilateral".
   
No Brasil, Chávez e Rousseff vão rever o estado do comércio bilateral e a evolução dos programas de cooperação em diversas áreas, informou o governo brasileiro.
   
O comércio entre Brasil e Venezuela ascendeu a 4,686 bilhões de dólares em 2010. O Brasil, um dos principais fornecedores de alimentos e produtos básicos à Venezuela, obteve um saldo a seu favor de 3,021 bilhões de dólares.
   
Depois da visita ao Brasil, Chávez viajará ao Equador e a Cuba.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias