FMI

Christine Lagarde anuncia oficialmente candidatura ao FMI

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, anunciou nesta quarta que apoia "plenamente" a candidatura de Lagarde

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 25/05/2011 às 10:27
Foto: Edmar Melo/JC Imagem
FOTO: Foto: Edmar Melo/JC Imagem
Leitura:

PARIS - A ministra francesa da Economia, Christine Lagarde, anunciou oficialmente nesta quarta-feira (25) sua
candidatura ao cargo de diretor gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), em substituição ao compatriota Dominique Strauss-Kahn. "Resolvi apresentar minha candidatura" ao posto, disse a ministra à imprensa, indicando ter tomado esta decisão "após uma reflexão madura. Tomo esta decisão após uma longa reflexão e com a concordância do presidente da República e do primeiro-ministro, que meapóiam totalmente neste processo", indicou Lagarde, referindo-se a Nicolas Sarkozy e François Fillon. Além disso, destacou, sua intenção é "colher o mais amplo consenso" em torno da candidatura.
   
O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, anunciou nesta quarta que apoia "plenamente" a candidatura de Lagarde. "Apóio plenamente a candidatura de Christine Lagarde ao posto de diretor gerente do Fundo Monetário Internacional", declarou Barroso em um comunicado, divulgado pouco após o anúncio da ministra.
   
Barroso destacou que Lagarde conta com o respeito da comunidade internacional, num momento em que a Europa tenta chegar a um consenso em torno de um candidato para substituir Strauss-Kahn, que renunciou ao cargo no FMI em meio a um escândalo sexual. Segundo Barroso, a Comissão Europeia "acredita que as qualidades de Lagarde, assim como seu compromisso com o fortalecimento da governança econômica global, são indispensáveis para cumprir a missão do FMI e sua contribuição vital para a estabilidade da economia internacional".
   
A Alemanha também declarou apoio à ministra francesa, qualificando-a como "uma pessoa com excelente conhecimento que há anos ocupa posições de alto nível em empresas privadas, na política e no governo. Ela está, e isto é particularmente importante, muito familiarizada com a crise da dívida pública na Europa, na qual o FMI
têm desempenhado um significativo papel", ressaltou Steffen Seibert, porta-voz do governo da chanceler Angela Merkel.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias