europa

Tráfego aéreo europeu perturbado por cinzas de vulcão islandês

Os maiores aeroportos da Alemanha, como Munique e Frankfurt, que servem de plataforma na Europa, não foram afetados

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 25/05/2011 às 13:50
Mona Lisa Dourado/JC
FOTO: Mona Lisa Dourado/JC
Leitura:

BERLIN - O tráfego aéreo deve ser retomado esta tarde em Berlim e no norte da Alemanha depois de ter sido mantido paralisado durante várias horas devido a uma nuvem de cinzas expelida pelo vulcão islandês Grimsvötn, enquanto a situação se normalizava no restante da Europa. Os dois aeroportos da capital alemã devem abriram novamente às 12h (9h de Brasília), depois de terem permanecido fechados durante três horas, anunciaram as autoridades de segurança aérea (DFS).
   
O aeroporto de Hamburgo, fechado desde a madrugada, voltou a abrir às 11h GMT (7h de Brasília), assim como o de Bremen. Foram cancelados 450 voos de um total de 8.000 no céu alemão nesta quarta-feira, segundo a organização europeia de segurança aérea Eurocontrol. Na terça-feira, cerca de 500 voos, dos 29.000 programados tinham sido cancelados na Europa.   

Os maiores aeroportos da Alemanha, como Munique e Frankfurt, que servem de plataforma na Europa, não foram afetados. As autoridades alemãs indicaram que a Alemanha está "em condições muito melhores para controlar a situação" que no ano passado, quando outro vulcão islandês expeliu cinzas, bloqueando milhares de passageiros durante semanas em todo o continente. No restante da Europa, o tráfego deve voltar ao normal. A Comissão Europeia descartou na terça-feira um fechamento de grande envergadura do espaço aéreo europeu, como em abril de 2010.
   
A nuvem deve chegar esta quarta-feira à Bélgica e ao norte da França, mas a concentração de cinzas será muito pequena e o tráfego aéreo não deve sofrer perturbações. Por outro lado, a Escócia estava classificada como "zona vermelha", o que gerou uma recomendação para a suspensão dos voos.
   
O espaço aéreo dinamarquês e uma pequena parte a noroeste estavam fechados ao tráfego aéreo nesta terça-feira. Mas voltaram a ser reabertos à meia-noite (21h de terça-feira em Brasília) depois que a nuvem de cinzas do vulcão islandês Grimsvötn desapareceu, anunciou o órgão dinamarquês de controle do tráfego aéreo. Um dia depois de grandes perturbações na Escócia, o tráfego voltou a ser normal no Reino Unido.
   
Na Islândia, o principal aeroporto internacional, Keflavik-Reykiavik, permaneceu fechado durante a noite, indicou uma porta-voz das autoridades aeroportuárias Isavia, Gudmundsdottir. Segundo os serviços meteorológicos islandeses, o vulcão Grimsvötn não registrou atividade depois das 2h (23h de terça-feira em Brasília) e a coluna de fumaça já estava quase dissipada.
   
Em abril de 2010, a erupção de outro vulcão islandês, o Eyjafjöll, provocou o maior fechamento do espaço aéreo decretado na Europa em tempos de paz. Mais de 100.000 voos foram cancelados e mais de oito milhões de passageiros ficaram bloqueados durante um mês.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias