campanha eleitoral

Polônia terá eleições gerais em 9 de outubro

Pesquisas de intenção de voto indicam que o partido centrista Plataforma Civil tem boas chances de manter o poder, com 40% da preferência do eleitorado

Lorena Tapavicsky
Lorena Tapavicsky
Publicado em 04/08/2011 às 13:30
Leitura:

Polônia marcou nesta quinta-feira (4) a data das eleições gerais para 9 de outubro, abrindo os dois meses de campanha eleitoral que certamente será pautada pela amarga disputa que envolve o acidente aéreo que matou no ano passado, na Rússia, o presidente Lech Kaczynski e outras figuras do mundo político polaco.

Desde o acidente de 10 de abril de 2010, o qual matou Kaczynski e outras 95 pessoas, a cena política polonesa tem se pautado por recriminações sobre o desastre, que dizimou parte da elite política e militar. A data das eleições foi anunciada hoje pelo presidente, Bronislaw Komorowski.

Na atual corrida eleitoral um dos dois partidos mais populares é o da Lei e Justiça, de centro-direita e chefiado pelo irmão gêmeo do presidente morto, Jaroslaw Kaczynski. O partido, conservador e nacionalista, culpa o governo do primeiro-ministro Donald Tusk pelo desastre, afirmando que procedimentos falhos na segurança aérea levaram ao acidente que matou o ex-presidente.

Um relatório do governo polonês divulgado na semana passada afirma que falhas na segurança aérea e treinamento deficiente dos pilotos militares estão entre as causas do acidente. Jaroslaw Kaczynski disse na quarta-feira que essas conclusões podem significar "um enorme indiciamento contra Tusk".

As pesquisas de intenção de voto, contudo, indicam que o partido centrista Plataforma Civil, de Tusk, ainda tem boas chances de manter o poder, com 40% da preferência do eleitorado. Se vencer, a Plataforma Civil será o segundo governo na Polônia, desde a queda do comunismo em 1989, a cumprir uma mandato inteiro de quatro anos. Todos os outros governos entraram em colapso antes do fim de mandato e tiveram que antecipar eleições. Desde que foi eleito em 2007, Tusk se preocupou em cultivar boas relações com a Alemanha e a Rússia, dois vizinhos com os quais a Polônia tem uma história conturbada.

O partido da Lei e Justiça de Kaczynski tem cerca de 30% das intenções de voto, indicam várias pesquisas. O partido atrai o voto dos poloneses nacionalistas e religiosos, bem como de pessoas idosas que vivem em áreas rurais.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias