Tensão // Protestos

Roma calcula prejuízos depois de protestos violentos

Protestantes invadiram uma igreja, arrancaram um crucifixo da parede e destruíram uma estátua da Virgem Maria

Aline Souza
Aline Souza
Publicado em 16/10/2011 às 10:35
Leitura:

Roma calcula os prejuízos um dia após manifestantes terem transformado uma marcha pacífica contra a crise financeira global em violentos confrontos, incendiando veículos e quebrando calçadas, vitrines de lojas e bancos.

O prefeito da capital italiana, Gianni Alemanno, afirmou neste domingo (16) a repórteres que os reparos de ônibus públicos, ruas e calçadas custarão pelo menos 1 milhão de euros (US$ 1,4 milhão).

Protestantes encapuzados se infiltraram no último sábado (15) em uma marcha de dezenas de milhares de pessoas preocupadas com o sofrimento causado pela crise financeira mundial.

Os manifestantes, alguns usando máscaras de gás, arrancaram paralelepípedos e pedra das calçadas e ruas para arremessar contra a polícia e os edifícios, bem como quebraram janelas e vitrines com martelos. A polícia revidou com jatos d'água e gás lacrimogêneo.

Os protestantes também invadiram uma igreja, arrancaram um crucifixo da parede e destruíram uma estátua da Virgem Maria. O prefeito de Roma os classificou como "animais."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias