ORIENTE MÉDIO

Israel retalia adesão palestina à Unesco

Represália à entrada da Palestina na agência da ONU inclui corte de recursos à Autoridade Palestina e autorização para construção de mais 2 mil casas em Jerusalém Oriental e Cisjordânia

Wilfred Gadelha
Wilfred Gadelha
Publicado em 01/11/2011 às 15:59
Leitura:

 
JERUSALÉM - Israel decidiu construir mais 2 mil residências em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia e congelar provisoriamente a transferência de recursos à Autoridade Palestina, como medida de retaliação pela admissão da Palestina como  membro de pleno direito da Unesco, informou uma fonte oficial.

"Estas medidas foram tomadas pelo fórum dos oito principais ministros sob a presidência do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, como sanção após a votação na Unesco", indicou esta fonte à AFP. "Vamos construir 2 mil residências, incluindo 1.650 em Jerusalém, e o restante nos assentamentos de Maalé Adoumim e de Efrat (no sul de Belém, na Cisjordânia)", indicou esta autoridade, que pediu para não ser identificada.

 "Ele também decidiu congelar provisoriamente as transferências de fundos destinados à Autoridade Palestina, até que uma decisão definitiva seja tomada", acrescentou este alto funcionário.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias