argentina

Tratamento de Cristina Kirchner muda com novo diagnóstico

Exame descartou a presença de células cancerígenas na tireoide da presidente

Emídia Felipe
Emídia Felipe
Publicado em 07/01/2012 às 13:28
Leitura:

Com a divulgação neste sábado (7) do boletim médico que deu alta hospitalar à presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e mudou o diagnóstico inicial de câncer na tireoide, foi anunciado também que não há mais necessidade do tratamento com iodo radioativo que estava previsto.

"O exame histopatológico definitivo constatou a presença de nódulos em ambos os lóbulos da glândula tireoide da presidenta da Nação, doutora Cristina Fernández de Kirchner, mas descartou a presença de células cancerígenas", leu o porta-voz, Alfredo Scoccimaro.

"Modificando o diagnóstico inicial da punção, a histologia definitiva foi informada como adenomas foliculares", disse o porta-voz, destacando que desta maneira a presidente não terá de submeter-se ao tratamento com iodo radioativo, como estava previsto inicialmente.

A presidente deixou o hospital em helicóptero e já se encontra descansando na residência oficial Quinta de Olivos. Cristina ficará de licença médica até o dia 24 de janeiro. Neste período, a presidência do país estará sendo exercida pelo vice-presidente Amado Boudou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias