Eleições francesas

Em seu primeiro discurso, Hollande promete governar para todos

Declaração é referência ao discurso de Sarkozy, que implementou medidas que atacam imigrantes

Da Agência Brasil
Da Agência Brasil
Publicado em 07/05/2012 às 7:25
Foto: Thomas Coex / AFP
Declaração é referência ao discurso de Sarkozy, que implementou medidas que atacam imigrantes - FOTO: Foto: Thomas Coex / AFP
Leitura:

No primeiro discurso como presidente eleito da França, o socialista François Hollande disse hoje (6) que sabe qual é o significado da sua vitória e prometeu que será o governante de todos os franceses. A declaração é uma referência ao discurso do atual presidente Nicolas Sarkozy, que implementou medidas que atacam os imigrantes, principalmente os muçulmanos.

“Aos que não me deram seu voto, que saibam que eu respeito suas convicções e que serei o presidente de todos. Esta noite não há duas Franças que se enfrentam. Há apenas uma França, uma nação reunida no mesmo destino. Cada um e cada uma terão igualdade de direitos e de deveres”, disse.

Hollande acrescentou que o seu governo começa hoje. Ele disse que a responsabilidade do cargo é imensa e que tem consciência disso. Também prometeu tomar providências para combater os efeitos da crise econômica internacional na França, buscando o desenvolvimento do país e a ampliação do funcionalismo público.

Para o socialista, sua eleição representa a escolha dos franceses pela mudança e pelo respeito. “Os franceses escolheram a mudança, o que me levou à Presidência da República. Tenho noção da honra e da tarefa. Comprometo-me a servir ao meu país como requer essa função”, disse ele.

Hollande acrescentou ainda que deixava uma “saudação democrática a Nicolas Sarkozy”, por quem pediu “respeito”. Pelos resultados de pesquisas de três institutos - CSA, TNS Sofres e Ipsos – Hollande obteve 52% dos votos contra 48% de Sarkozy. O atual presidente reconheceu a derrota.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias