terrorismo

EUA frustram atentado da Al-Qaeda contra avião

Líderes da organização no Iêmen planejavam um ataque contra um avião comercial americano

Da AFP
Da AFP
Publicado em 07/05/2012 às 20:47
Leitura:

Os Estados Unidos frustraram recentemente um plano de ataque suicida com bomba do braço iemenita da Al-Qaeda contra um avião comercial, revelou nesta segunda-feira (7) à AFP um oficial americano de combate ao terrorismo.

"O aparato era para uso de um homem bomba no avião", disse à AFP o oficial, que pediu para não ser identificado.

Até o momento, não foram detalhadas as circunstâncias em que a CIA conseguiu desmantelar o complô. O oficial informou apenas que nenhum "avião" e "nenhum americano ou aliado" esteve em perigo.

A Casa Branca declarou que o presidente Barack Obama acompanhou a situação envolvendo o atentado a partir de abril.

Depois do alerta, o presidente americano "pediu ao Departamento de Segurança Interna, às forças da ordem e aos serviços de inteligência para tomar as medidas necessárias visando evitar este tipo de atentado", informou um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hayden.

O braço da Al-Qaeda na Península Arábica, sediado no Iêmen, já tinha tentado em várias ocasiões aproveitar as falhas da segurança aérea para explodir aviões comerciais que voam para os Estados Unidos.

No dia 25 de dezembro de 2009, Umar Faruk Abdulmutalab, um nigeriano de 23 anos, tentou detonar explosivos que carregava em sua cueca e que conseguiu levar a bordo de um avião comercial que voou de Amsterdã (Holanda) a Detroit (nordeste dos EUA) com 290 passageiros.

Os viajantes o impediram de detonar os explosivos e depois ele foi isolado pela tripulação.

O oficial explicou que o modelo de operação do atentado recentemente frustrado era "similar" ao do Natal de 2009, apesar de algumas "diferenças significativas".

"O aparato (explosivo) não era metálico. Era ligeiramente diferente do que foi utilizado no plano de atentado de dezembro de 2009. Isso mostra que o braço da Al-Qaeda na Península Arábica adapta seus métodos e táticas".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias