Egito

Justiça egípcia mantém a candidatura de ex-premiê de Mubarak

Por outra parte, a Suprema Corte também decidiu que a lei que rege as eleições legislativas, nas quais os islamitas levaram a maior parte das cadeiras, é inconstitucional

Juliana Regis
Juliana Regis
Publicado em 14/06/2012 às 11:20
Foto: MOHAMMED ABED / AFP
Por outra parte, a Suprema Corte também decidiu que a lei que rege as eleições legislativas, nas quais os islamitas levaram a maior parte das cadeiras, é inconstitucional - FOTO: Foto: MOHAMMED ABED / AFP
Leitura:

CAIRO - O Alto Tribunal Constitucional do Egito decidiu nesta quinta-feira (14) invalidar uma lei que proíbe aos ex-altos funcionários do regime de Hosni Mubarak disputar as eleições, o que permitirá que Ahmed Shafiq seja candidato nas presidenciais que serão realizadas neste fim de semana.

Ahmed Shafiq, último primeiro-ministro de Mubarak, enfrentará no segundo turno das persidenciais, em 16 e 17 de junho, Mohamed Mursi, candidato da Irmandade Muçulmana.

Por outra parte, a Suprema Corte também decidiu que a lei que rege as eleições legislativas, nas quais os islamitas levaram a maior parte das cadeiras, é inconstitucional.

A Corte considerou inconstitucionais alguns artigos de lei relativos às eleições legislativas que se referem aos votos atribuídos pelo sistema de eleição uninominal, o que afeta um terço dos deputados, indicou a agência Mena.

O resto dos votos foi atribuído por um sistema de listas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias