pesquisa

Mortalidade infantil nos países pobres tem forte redução

Mortalidade materna anual nestes países - a maioria na África subsaariana e no sudeste da Ásia - caiu quase à metade de 1990 a 2010 (de 543.000 casos a 287.000)

Da AFP
Da AFP
Publicado em 14/06/2012 às 8:46
Leitura:

WASHINGTON - A mortalidade materna e infantil caiu significativamente nos países pobres a partir de 1990, mas ainda resta muito a fazer, destaca um relatório publicado nesta quarta-feira (13) com base na iniciativa da ONU chamada "Contagem Regressiva até 2015".

A iniciativa busca atingir certos objetivos na área de saúde materna e infantil em 75 países "em desenvolvimento" até 2015, como reduzir em dois terços a mortalidade de crianças com menos de cinco anos, e em três quartos os óbitos entre as mães.

Segundo artigo publicado na revista britânica The Lancet, a mortalidade materna anual nestes países - a maioria na África subsaariana e no sudeste da Ásia - caiu quase à metade de 1990 a 2010 (de 543.000 casos a 287.000), enquanto a mortalidade entre crianças com menos de cinco anos passou de 12 milhões em 1990 a 7,6 milhões em 2010, com redução de 36,6%.

Alguns dos países mais pobres fizeram "progressos espetaculares" na redução da mortalidade infantil, comemoraram os autores do relatório, entre os quais figuram especialistas das universidades americanas Johns Hopkins e Harvard, da Escola Londrina de Higiene e Medicina Tropical da Organização Mundial de Saúde (OMS), em Genebra.

Apesar dos progressos, apenas 22 dos 75 países na "Contagem Regressiva até 2015" reúnem as condições necessárias para atingir os objetivos fixados pela ONU, adverte o relatório.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias