oriente médio

Famosa cantora paquistanesa é assassinada

Ghazala Javed, 22 anos, defendia os direitos das mulheres numa nação ultraconservadora

Rafael Carvalheira
Rafael Carvalheira
Publicado em 19/06/2012 às 16:23
Foto: Reprodução do Facebook
Ghazala Javed, 22 anos, defendia os direitos das mulheres numa nação ultraconservadora - Foto: Reprodução do Facebook
Leitura:

A intolerância silenciou, na noite de segunda (18), a voz da famosa cantora paquistanesa Ghazala Javed, 22 anos. A artista foi assassinada a tiros na cidade de Peshawar, noroeste do país. Com suas músicas, Ghazala defendia os direitos das mulheres numa nação ultraconservadora e já havia recebido ameaças de extremistas islâmicos pela postura arredia.

A jovem foi executada com seis tiros quando saía de carro de um cabeleireiro. Dois homens em uma motocicleta efetuaram os disparos e fugiram. Atingida na cabeça, ela morreu no local. Seu pai, que a acompanhava, também faleceu. Uma irmã da cantora sobreviveu ao atentado.

A polícia de Peshawar já investiga o caso e, pelas informações iniciais, não associa o assassinato a uma ação do Talibã - grupo radical que proíbe manifestações como música e dança.

A hipótese inicial para o crime é que ele tenha sido motivado por vingança. As primeiras suspeitas recaem sobre o ex-marido de Ghazala Javed, de quem ela se divorciou no ano passado ao descobrir que o homem tinha outra mulher, num caso que causou rebuliço no país. No Paquistão, país conservador e religioso, o divórcio é raro e visto como uma forma de desonra para o marido.

Ghazala Javed tinha 20 álbuns gravados pashtu, língua predominante no noroeste do Paquistão, e havia gradado seu último CD em Dubai, pela opressão que sofria no Paquistão.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias