PARAGUAI

Lugo desiste de ir às cúpulas do Mercosul e da Unasul

Presidente destituído enviará o ex-chanceler para representá-lo

Fabiane Cavalcanti
Fabiane Cavalcanti
Publicado em 27/06/2012 às 0:04
Leitura:

ASSUNÇÃO - O presidente destituído do Paraguai, Fernando Lugo, não irá às cúpulas do Mercosul e da Unasul, previstas para a partir desta quinta-feira, na cidade argentina de Mendoza, informou um porta-voz do dirigente à AFP. 

"O presidente não quer pesar nas decisões que tomarão os presidentes que participarão da reunião", revelou Rubén Penayo, porta-voz de Lugo. 

Lugo enviará à cúpula o ex-chanceler Jorge Lara Castro, que terá a missão de relatar o ponto de vista do presidente deposto em um processo de impeachment relâmpago, na sexta-feira passada. 

Os presidentes do Mercosul e da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) poderão sancionar o Paraguai pela destituição de Lugo e a nomeação do vice-presidente, Federico Franco, como chefe de governo até o final do atual mandato, em 15 de agosto de 2013. 

José Félix Fernández Estigarribia, chanceler do novo governo paraguaio, advertiu no domingo sobre o equívoco que seria se Lugo "assumisse responsabilidades que já não lhe cabem". "Se o fizer, ficará exposto ao ordenamento legal da República". 

A Constituição paraguaia e a legislação penal preveem sanções para pessoas que invocam falsamente a representação do governo. 

O embaixador paraguaio na OEA, Bernardino Saguier, disse nesta terça-feira na assembleia extraordinária da organização, em Washington, que os sócios do Paraguai no Mercosul - Brasil, Argentina e Uruguai - desejam isolar seu país. 

"Se querem formar outra Tríplice Aliança, façam isto, não será a primeira vez", desafiou Saguier ao lembrar a "Guerra do Paraguai".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias