impasse

Otan cobra da Síria solução para crise no país

?Eu espero que as autoridades sírias façam tudo o que podem para evitar qualquer escalada da violência e qualquer incidente inaceitável como o que vimos quando o avião turco foi abatido?, afirmou secretário-geral

Milton Raulino
Milton Raulino
Publicado em 05/07/2012 às 13:34
Leitura:

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, pediu nesta quinta-feira (5) que a Síria procure uma solução política para a crise que atravessa o país. Ele também fez um alerta à Síria para que incidentes, como o que ocorreu com o caça turco, não aconteçam novamente.

“Eu espero que as autoridades sírias façam tudo o que podem para evitar qualquer escalada da violência e qualquer incidente inaceitável como o que vimos quando o avião turco foi abatido”, afirmou.“A Turquia pode contar com a Otan e nós estamos preparados para defender a Turquia se for necessário”, adiantou.

Um caça turco F4 Phantom foi abatido no dia 22 de junho pelas forças de segurança da Síria. Os dois países, no entanto, discordam do local onde o incidente ocorreu, se foi no espaço aéreo internacional ou sírio. Depois do incidente, a Turquia fez uma consulta aos seus aliados com base no Artigo 4º do tratado de fundação da Otan, que permite a qualquer país-membro da organização solicitar consultas caso considere que foram violadas a integridade territorial, a independência política ou a segurança.

“Todos concordamos que não há solução militar para a crise na Síria. Precisamos de uma solução politica”, afirmou Rasmussen. Na quarta-feira (4), a Turquia divulgou que foram encontrados os corpos dos dois pilotos do caça abatido pelas forças sírias de segurança. Eles foram encontrados no Mar Mediterrâneo, após duas semanas de busca.

Para a Turquia, o abate do caça pela Síria foi considerado uma ameaça à paz. O presidente sírio, Bashar Al Assad, lamentou o episódio e alegou que a aeronave estava no espaço aéreo da Síria.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias