tempestade tropical

Depois do Haiti, ciclone Isaac se dirige para Cuba e sul da Flórida

Segundo o Centro Nacional de Furacõe (CNH), os ventos máximos sustentáveis de Isaac se mantiveram nas últimas horas nos 95 km/h

AFP
AFP
Publicado em 25/08/2012 às 10:59
Foto: AFP
Segundo o Centro Nacional de Furacõe (CNH), os ventos máximos sustentáveis de Isaac se mantiveram nas últimas horas nos 95 km/h - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O centro da tempestade tropical Isaac chegou neste sábado à costa sul do Haiti, atingindo o país mais pobre da região com ventos fortes e chuvas torrenciais, e prosseguiu para Cuba, ameaçando chegar como furação no sul da Flórida.

Segundo o Centro Nacional de Furacõe (CNH), os ventos máximos sustentáveis de Isaac se mantiveram nas últimas horas nos 95 km/h, com rajadas mais fortes, enquanto se desloca para o noroeste do mar do Caribe a 22 km/h.

O ciclone se encontrava neste sábado (25) pela manhã 150 km a leste-sudeste de Guantánamo, Cuba, e 170 km ao sud-sureste da ilha de Great Inagua, indicou o CNH, com sede em Miami.

Um aviso de tempestade tropical está em vigor para República Dominicana, Haiti, as Bahamas, as Ilhas Turcos e Caicos e a costa leste da Flórida.

Vários grupos petroleiros já iniciaram a retirada de seu pessoal das plataformas no Golfo do México, temendo que Isaac se transforme em furacão.

Seis províncias cubanas, onde vivem quase cinco milhões de pessoas, foram colocadas em estado de alerta na sexta-feira ante a iminente chegada de Isaac.

Cuba colocou em andamento um dispositivo elaborado para fins de defesa (resistir a uma eventual invasão americana), mas que é utilizado em caso de fenômenos naturais, o que já permitiu minimizar o número de vítimas de furacões no passado.

As províncias colocadas em estado de alerta, que abrangem 47% do território, são Camagüey, Las Tunas, Holguín, Granma, Santiago de Cuba e Guantánamo.

O alerta implica algumas evacuações preventivas e utilização de pessoal e equipamento de emergência, assim como distribuição de alimentos e água potável à população.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias