Eleições

México anula votação em 0,37% das seções eleitorais

Esquerda pedia a anulação dos votos em 49% das seções eleitorais por irregularidades

AFP
AFP
Publicado em 25/08/2012 às 9:20
Leitura:

MEXICO - O Tribunal Federal Eleitoral mexicano decidiu nesta sexta-feira (24) anular os resultados em 0,37% das seções eleitorais da votação presidencial de 1º de julho passado, informou o órgão em um comunicado.

A esquerda pedia a anulação dos votos em 49% das seções eleitorais por irregularidades.

"Foi decidido modificar os resultados em 225 seções, produto da recomposição derivada da recontagem dos votos (em 1.125 seções) e como resultado da anulação dos votos em 524 seções, principalmente por inconsistências vinculadas à apuração", destacou o Tribunal.

Estas "inconsistências" se referem à diferença entre o número de votos emitidos e o número de cédulas encontradas na urna correspondente.

A decisão responde às impugnações apresentadas pela coalizão de esquerda Movimento Progressista, cujo candidato à presidência, Andrés Manuel López Obrador, foi derrotado por Enrique Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI).

A esquerda havia solicitado a recontagem em 70.341 seções de votação, do total de 143 mil seções em todo o país.

A legislação eleitoral mexicana exige que, para anular uma eleição, haja "irregularidades graves, plenamente comprovadas e não passíveis de correção" em ao menos 25% das seções eleitorais.

O Tribunal Federal Eleitoral analisa ainda o pedido de anulação total das eleições de 1º de julho, e sua decisão deve sair até o próximo dia 6 de setembro.

López Obrador, que foi derrotado por cerca de 3,3 milhões de votos por Peña Nieto (6,6%), pede a anulação das eleições por compra de votos, imparcialidade dos meios de comunicação e manipulação de pesquisas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias