Falcón

Sobe para 19 o número de mortos na explosão na maior refinaria da Venezuela

Acidente ocorreu na refinaria de Amuay durante a madrugada deste sábado (25),

AFP
AFP
Publicado em 25/08/2012 às 9:05
Leitura:

CARACAS - Dezenove pessoas morreram e mais de 53 ficaram feridas depois de uma explosão ocorrida na madrugada deste sábado (25) na refinaria de Amuay, no Estado Falcón, informou ao canal estatal VTV a governadora deste estado do noroeste venezuelano.

"Até agora, temos contabilizados mais de 53 feridos e aproximadamente 19 pessoas mortas, entre elas lamentavelmente uma criança de 10 anos", declarou Stella Lugo, em ligação ao canal estatal VTV.

"O incêndio foi controlado, mas ainda se observam grandes colunas de fumaça (...) e o fogo ainda persiste, embora controlado, mas não há risco de outra explosão", acrescentou Lugo, que mais cedo havia informado sobre 7 mortos e 48 feridos.

A governadora se encontra no local da explosão na companhia do ministro de Petróleo e presidente da estatal petroleira PDVSA, Rafael Ramírez.

"Foi uma explosão na área de armazenamento, produto de um vazamento de gás que, pelas condições climáticas que reinavam, ficou acumulado na área e, diante de uma fonte de ignição, explodiu", explicou Ramírez, depois de fazer um reconhecimento das instalações.

"Vamos investigar a origem disso, mas não podemos adiantar nenhuma hipótese. Agora, o que estamos fazendo é enfrentar a situação, atendendo aos feridos, retirando os escombros", acrescentou Ramírez.

"A onda da explosão foi de uma magnitude importante, de maneira que há danos consideráveis na infraestrutura e moradias localizadas diante da refinaria", disse ainda.

A refinaria de Amuay, que faz parte do Centro de Refinamento Paraguaná, e a maior deste país petroleiro e processa 645.000 barris de petróleo por dia.

A Venezuela é o quinto maior exportador de petróleo do mundo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias