Polêmica

Câmara dos EUA rejeita proposta para limitar espionagem eletrônica

A proposta de emenda, apresentada pelo republicano Michigan Justin Amash, era rejeitada pela Casa Branca e por vários importantes legisladores do Congresso

Da AFP
Da AFP
Publicado em 24/07/2013 às 22:50
Leitura:

A Câmara de Representantes dos Estados Unidos rejeitou nesta quarta-feira, por pequena margem, a proposta para a suspensão do financiamento dos programas da Agência Nacional de Segurança (NSA) para monitorar comunicações telefônicas de milhões de americanos.

A emenda - apresentada após as revelações sobre os programas americanos para monitorar telefonemas e e-mails - era apoiada por uma coalizão incomum, que reunia desde republicanos conservadores do Tea Party até democratas liberais. O projeto obteve 205 votos a favor e 217 contra.

A proposta de emenda, apresentada pelo republicano Michigan Justin Amash, era rejeitada pela Casa Branca e por vários importantes legisladores do Congresso, incluindo os presidentes das comissões de Inteligência da Câmara e do Senado.

"O governo tem acesso a dados telefônicos de todos os cidadãos nos Estados Unidos sem que ninguém suspeite disso", destacou Amash durante um tenso debate pouco antes da votação.

O democrata Jim Moran, que votou a favor da emenda, disse no Twitter que está claro que "a NSA precisa ser reformada para proteger a privacidade dos americanos".

A emenda foi incluída em um vasto projeto de lei sobre o orçamento do departamento de Defesa, analisado atualmente na Câmara.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias