posicionamento

Coreia do Norte acusa presidente da Coreia do Sul de 'vulgaridade moral'

A declaração foi feita após a presidente sul-coreana afirmar que estava pronta para reunião com líder da Coreia do Norte

Flora Freire
Flora Freire
Publicado em 06/11/2013 às 10:15
Leitura:

A Coreia do Norte acusou a presidente sul-coreana, Park Geun-Hye, de "vulgaridade moral" na última quarta-feira (5) depois que ela sugeriu que estava pronta para se encontrar com o líder do Norte, Kim Jong-Un, a qualquer momento.

O Comitê norte-coreano para a Reunificação Pacífica da Coreia acusou Park de falar sobre uma reunião com Kim ao mesmo tempo em que fazia declarações provocativas contra Pyongyang.

"O comentário de Park sobre 'reuniões' não merece nem mesmo uma nota de passagem e é apenas um último recurso para enfrentar a crise política interna e externa", afirmou o órgão estatal em um comunicado.

Esta declaração, feita pela agência de notícias oficial do Norte, foi uma resposta aos comentários de Park em uma entrevista publicada na semana passada pelo jornal francês Le Figaro.

Park declarou ao jornal que estava disposta a realizar um encontro com Kim a qualquer momento se for necessário promover relações intracoreanas e a paz na Península Coreana.

Park visitou Paris no sábado, na primeira etapa de seu giro por três países que também a levará para Grã-Bretanha e Bélgica.

O Comitê do Norte denunciou o comentário de Park como um "sofisma ridículo que não vai funcionar com ninguém".

"Seus comentários grosseiros contra o Norte enquanto dizia que está pronta para ter um encontro a qualquer momento provam que ela não tem capacidade para participar de uma reunião e mostrar sua vulgaridade moral e impertinência desprovida de bom senso", disse.

"A Coreia do Norte jamais perdoará aqueles que ousarem insultar e fazer de tola a sua liderança suprema sob a bandeira de uma 'reunião de cúpula'", afirmou.

O Comitê pediu que Park pare com as "palavras e atos provocativos" e tenha boa maneiras se espera sinceramente se encontrar com Kim.

As tensões militares entre os dois países, que dispararam após o teste nuclear do Norte em fevereiro, aparentemente diminuíram e as duas partes concordaram em reabrir seu parque industrial conjunto na cidade fronteiriça norte-coreana de Kaesong.

Mas o clima voltou a azedar quando Pyongyang cancelou uma reunião agendada para o mês passado com membros de famílias separadas pela Guerra da Coreia.

O chefe do Exército sul-coreano, Kwon Oh-Sung, disse em um fórum nesta quarta-feira que Kim poderia fazer um movimento provocativo em uma tentativa de tomar uma iniciativa estratégica nas relações estagnadas com Seul.

"Há uma chance muito alta de provocação pelo regime de Kim Jong-Un da Coreia do Norte para virar o jogo e assumir a liderança das relações intercoreanas", disse.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias