prêmio

Edward Snowden é lembrado para o Nobel da Paz

"Ele contribuiu para revelar o nível extremo de vigilância por parte de nações contra outras nações e cidadãos", afirmou o ex-ministro socialista da Noruega Baard Vegar Solhjell

Da AFP
Da AFP
Publicado em 29/01/2014 às 18:31
Foto: AFP
"Ele contribuiu para revelar o nível extremo de vigilância por parte de nações contra outras nações e cidadãos", afirmou o ex-ministro socialista da Noruega Baard Vegar Solhjell - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Um ex-ministro norueguês propôs nesta quarta-feira (29) o nome do ex-analista de inteligência americano Edward Snowden para o Prêmio Nobel da Paz, em uma carta ao Comitê Nobel norueguês.

"Ele contribuiu para revelar o nível extremo de vigilância por parte de nações contra outras nações e cidadãos", afirmou o ex-ministro socialista Baard Vegar Solhjell ao explicar sua iniciativa à AFP.

"Snowden contribuiu para que as pessoas saibam o que aconteceu e estimulou um debate público sobre a confiança nos governos, que é um requisito fundamental para a paz", disse ainda.

Em uma carta ao Comitê Nobel norueguês obtida pela AFP, Solhjell e seu colega de partido Snorre Valen assinalam que não necessariamente aprovam ou apoiam todas as revelações de Snowden, mas eles o elogiam por revelar "a natureza e a capacidade tecnológica da vigilância moderna".

"O nível de sofisticação e de profundidade da vigilância a que foram submetidos os cidadãos em todo mundo são temas que nos deixaram atônitos e que provocaram um debate", alegaram ainda.

Solhjell foi ministro do Meio Ambiente até que o governo de esquerda perdeu o poder no ano passado.

O prazo máximo para apresentar candidaturas ao Nobel da Paz 2014 termina em 1º de fevereiro.

Em julho de 2013, um professor de Sociologia sueco, Stefan Svallfors, já havia sugerido Snowden para o Prêmio Nobel passada a data limite, mas a candidatura continua sendo válida para 2014.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias