União Soviética

Gorbachev deixa o hospital e retoma atividades

Muito respeitado no Ocidente, ele é criticado pelos russos, que o consideram responsável pela desintegração da URSS

Da AFP
Da AFP
Publicado em 10/10/2014 às 10:41
Foto: Reprodução/Internet
Muito respeitado no Ocidente, ele é criticado pelos russos, que o consideram responsável pela desintegração da URSS - FOTO: Foto: Reprodução/Internet
Leitura:

O último líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev, 83 anos, foi liberado pela clínica de Moscou na qual havia sido internado e retomou as atividades, informou a fundação que leva o seu nome. "Ele acaba de chegar, tudo está normal, está ao nosso lado", disse uma fonte da fundação, antes de afirmar que a imprensa russa exagerou a gravidade do estado de saúde de Gorbachev.

Duas agências de notícias anunciaram a internação de Gorbachev na quinta-feira. "Estou bem vivo, terminei os exames na clínica", disse Gorbachev nesta sexta-feira à agência de notícias Tass. Em junho de 2013, ele já havia sido hospitalizado para fazer um "check-up". Nos últimos anos, Gorbachev apareceu em público aparentando cansaço e com o rosto inchado. Segundo a imprensa russa, ele estaria com diabetes.

Devido a seus problemas de saúde, ele não pôde comparecer ao enterro da ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, em abril de 2013. Muito respeitado no Ocidente, ele é muito criticado pelos russos, que o consideram responsável pela desintegração da URSS e o caos econômico e social após o fim da União Soviética.

O pai da Perestroika (Reforma) lançada em 1985 renunciou em 25 de dezembro de 1991, abrindo caminho para o fim da URSS, após um acordo assinado sem ele por Ucrânia, Belarus e Rússia. Nos últimos anos, Gorbachev teve uma relação delicada com o presidente russo, Vladimir Putin, que ele criticou diversas vezes pelo retrocesso democrático.

Ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1990, ele preside a Fundação Gorbachev, dedicada a programas de caridade e à educação.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias