PENTÁGONO

Congresso dos EUA recorta projeto de nova unidade de inteligência do Pentágono

O novo Serviço Clandestino de Defesa pretende usar agentes autoridades e recursos para trabalhar com a Agência Central de Inteligência (CIA)

Da AFP
Da AFP
Publicado em 02/11/2014 às 12:30
Leitura:

Um projeto do Pentágono para criar uma nova agência de inteligência fora dos Estados Unidos foi reduzido depois que parlamentares mostraram preocupação sobre seus custos e objetivos - informou neste domingo o jornal The Washington Post.

O novo Serviço Clandestino de Defesa, anunciado pelo Pentágono há mais de dois anos, pretende usar agentes existentes, autoridades e recursos para trabalhar de perto com a Agência Central de Inteligência (CIA) no rastreamento de ameaças emergentes.

Mas uma reportagem publicada pelo Washington Post revelou que a Agência de Inteligência da Defesa (DIA, na sigla em inglês) treinará e mobilizará 500 agentes, metade do que era previsto inicialmente.

Embora os agentes da DIA já se dediquem atualmente a compilar informações de inteligência em zonas de batalha convencionais, o Serviço Clandestino de Defesa tem como objetivo propiciar maior cooperação entre o Exército e a CIA.

A preocupação do Congresso norte-americano estaria num possível cenário em que o Pentágono termine pagando a conta por missões da CIA, diz a reportagem do Post.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias