Ataque em Paris

Jihadista morto em Paris estava na lista de terroristas dos EUA

Amedy Coulibaly, 32 anos, morreu na sexta-feira passada, após fazer vários reféns e executar quatro deles em um mercado de produtos kosher de Paris

Da AFP
Da AFP
Publicado em 13/01/2015 às 8:57
Foto: OFF TV / AFP
Amedy Coulibaly, 32 anos, morreu na sexta-feira passada, após fazer vários reféns e executar quatro deles em um mercado de produtos kosher de Paris - FOTO: Foto: OFF TV / AFP
Leitura:

O jihadista Amedy Coulibaly, morto na sexta-feira (9) após executar quatro pessoas em um mercado de produtos judaicos em Paris, figurava na lista de terroristas elaborada pelos Estados Unidos, informou a rede de televisão CNN nesta segunda-feira.

Coulibaly fazia parte da lista "há algum tempo", disse um funcionário americano à CNN.

Segundo a rede de televisão, o jihadista integrava uma grande lista de potenciais terroristas (TIDE), que inclui cerca de um milhão de nomes.

Amedy Coulibaly, 32 anos, morreu na sexta-feira passada, após fazer vários reféns e executar quatro deles em um mercado de produtos kosher de Paris. Um dia antes, o jihadista havia matado uma policial em Montrouge.

O jihadista agiu em coordenação com Said e Cherif Kouachi, que mataram 12 pessoas na sede do jornal satírico parisiense Charlie Hebdo, na quarta-feira, e também integravam a lista negra dos EUA. 

Os dois irmãos morreram na sexta-feira, em Coulibaly, em um assalto das forças especiais contra a gráfica na qual se refugiaram, a cerca de 40 km de Paris.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias