Tensão

Países nórdicos anunciam cooperação militar contra a ameaça russa na região

O anúncio é uma reação à crescente atividade militar russa na região

Da AFP
Da AFP
Publicado em 10/04/2015 às 16:57
Foto: AFP
O anúncio é uma reação à crescente atividade militar russa na região - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Ministros da Defesa dos países nórdicos – Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia – e o ministro do Exterior da Islândia, publicaram nesta sexta (10), no jornal norueguês Aftenposten, um artigo conjunto anunciando a ampliação da cooperação militar entre as cinco nações. Assinam o texto os ministros da Defesa da Dinamarca, Nicolai Wammen; da Noruega, Ine Eriksen Søreide; da Suécia, Peter Hultqvist; e da Finlândia, Carl Haglund, além do ministro do Exterior da Islândia, Gunnar Bragi Seveinsson.

O anúncio é uma reação à crescente atividade militar russa na região. Desde o ano passado, violações do espaço aéreo dos países nórdicos por aviões de guerra russos foram registradas em várias ocasiões, algumas delas com risco de acidentes. “O Exército russo age de maneira provocativa em nossas fronteiras e várias violações aconteceram também nos países bálticos (Lituânia, Letônia e Estônia)”, declaram os ministros no artigo.

O texto menciona a anexação da Crimeia como uma violação à lei e a outros acordos internacionais e enfatiza que a conduta da Rússia representa atualmente “o maior desafio à segurança da Europa”. Diz ainda que a segurança dos países nórdicos e áreas adjacentes piorou desde o ano passado e que as nações precisam estar preparadas para enfrentar “possíveis crises ou incidentes”.

A nova estratégia inclui exercícios militares conjuntos, troca de informações de inteligência, cooperação industrial inclusive no setor de defesa e processamento conjunto de materiais cibernéticos. O primeiro exercício militar, intitulado “Desafio do Ártico”, deve ser conduzido no final de maio, segundo prevê o artigo, e contará com a participação dos Estados Unidos.

A cooperação não tem o objetivo de funcionar como uma aliança, nos moldes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), da qual Dinamarca, Noruega e Islândia são membros. Não há comprometimento de nenhuma das nações de lutar pela outra em caso de conflito. “Uma cooperação mais próxima entre os países nórdicos e os estados bálticos contribui para ampliar a segurança de nossa região e reduzir o risco de incidentes militares. Agindo juntos, com firmeza e consistência, podemos contribuir para a paz e a segurança desta parte do mundo”, declaram os ministros.

Em 12 de novembro do ano passado, ministros da Defesa do Reino Unido, da Alemanha, Holanda, Polônia, dos três países bálticos e dos quatro países nórdicos se reuniram para discutir uma resposta à ameaça russa, no mesmo dia em que um avião de passageiros que deixou o Aeroporto de Copenhague, na Dinamarca, quase colidiu com um avião da inteligência militar russa que voava no espaço aéreo dinamarquês com o transponder desligado, o que dificultava sua visualização pelo centro de controle aéreo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias