SAÚDE

Menino de seis anos morre de difteria; primeiro caso na Espanha desde 1987

O menor não havia sido vacinado

Da AFP
Da AFP
Publicado em 27/06/2015 às 12:38
Leitura:

Um menino de seis anos, primeiro caso de difteria na Espanha desde 1987, morreu após um mês de luta contra a bactéria e em um contexto polêmico, já que o menor não havia sido vacinado, anunciou neste sábado o hospital onde estava internado.

O hospital Vall d'Hebron de Barcelona (nordeste) confirmou em sua conta do Twitter "a morte do paciente afetado pela difteria" e que estava hospitalizado desde o fim de maio.

O tratamento do menino, originário de Olot (Catalunha, nordeste) havia atrasado devido à dificuldade de encontrar a antitoxina na Europa, que finalmente foi fornecida pela Rússia.

A contaminação da criança, cujos pais se negaram a vacinar por medo dos efeitos colaterais, reativou a polêmica sobre os riscos das vacinas e da ausência de vacina.

"Queremos fazer um apelo aos pais: vacinem seus filhos", declarou neste sábado o responsável de saúde da Catalunha, Boi Ruiz, em uma coletiva de imprensa.

"Uma vacina, como qualquer outro medicamento, tem um risco e uma eficácia. Não há nada que tenha risco zero. O que não pode ser feito é utilizar o (fato de) que o risco zero não existe para criar um medo nos pais em relação à vacina, porque é o único remédio para a doença", acrescentou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias