Europa

Líderes da UE dispostos a 'buscar compromisso' sobre demandas britânicas

Cameron reconheceu que houve 'bons progressos' sobre suas demandas de reforma da UE

Giovanna Torreão
Giovanna Torreão
Publicado em 17/12/2015 às 23:18
Foto: ALAIN JOCARD /AFP
Cameron reconheceu que houve 'bons progressos' sobre suas demandas de reforma da UE - Foto: ALAIN JOCARD /AFP
Leitura:

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou nesta quinta-feira (17) que os mandatários do bloco estão dispostos "a buscar um compromisso com Londres", ao final de uma reunião que abordou, pela primeira vez, o pedido britânico de reformas da UE.

"Os mandatários expressaram suas preocupações, mas também demonstraram sua vontade de encontrar um compromisso" sobre os pedidos de reforma do primeiro-ministro David Cameron, antes do referendo de 2017, sobre a permanência da Grã-Bretanha na União Europeia, disse Tusk em entrevista coletiva. O presidente do Conselho se declarou "muito mais otimista" sobre o tema do que estava antes do debate.

Cameron reconheceu que houve "bons progressos" sobre suas demandas de reforma da UE, mas avaliou que "será difícil (...) porque estamos tentando fazer algo muito difícil, algo que nenhum país já tentou (...), renegociar nossa posição dentro da União Europeia".

Com um referendo em 2017, Cameron pediu reformas à UE para proteger os direitos dos países do bloco que não utilizam o euro e que a Grã-Bretanha fique de fora dos próximos passos para uma maior integração europeia, temas que segundo fontes europeias são discutíveis.

Cameron pede ainda que se modifique a legislação europeia para poder retirar a assistência social dos imigrantes durante seus primeiros quatro anos na Grã-Bretanha, uma alteração considerada discriminatória e que desperta a oposição de vários países. "Ninguém está disposto a aceitar uma discriminação. Esta não é a intenção dos nossos sócios britânicos. É por isso que devemos alcançar um compromisso", destacou Tusk.

"Esta noite foi um momento decisivo" para as demandas britânicas. "Concordamos com buscar soluções para os pontos", acrescentou Tusk. O presidente do Conselho Europeu deu até fevereiro para fechar um compromisso entre os 28 países do bloco sobre os pedidos de reforma, para, então, apresentar um texto concreto aos mandatários.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias