Síria

Pentágono confirma morte do porta-voz do Estado Islâmico

Segundo o secretário de imprensa do Pentágono, Abu Al-Adani coordenou combatentes do Estado Islâmico e promoveu ataques de "lobos solitários" contra civis e militares

AFP
AFP
Publicado em 12/09/2016 às 21:32
Foto: AFP
Segundo o secretário de imprensa do Pentágono, Abu Al-Adani coordenou combatentes do Estado Islâmico e promoveu ataques de "lobos solitários" contra civis e militares - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O departamento americano de Defesa confirmou nesta segunda-feira que um ataque aéreo - realizado no mês passado - matou Abu Mohamed al-Adnani, líder e porta-voz do grupo Estado Islâmico no norte da Síria.

A operação, ocorrida "nas proximidades de Al Bab, na Síria, tira do campo de batalha o principal propagandista, recrutador e arquiteto das operações externas dos terroristas" do EI, declarou o secretário de imprensa do Pentágono, Peter Cook.

"É parte de uma série de ataques bem sucedidos contra líderes do EI, incluindo seus responsáveis por finanças e planejamento militar, o que dificulta o funcionamento do grupo".

O ataque aéreo, no dia 30 de agosto, foi realizado por um drone Predator, que disparou um míssil Hellfire contra o veículo que transportava Al-Adnani.

As autoridades americanas afirmam que Al-Adnani foi o principal porta-voz do EI e que desempenhou um papel importante durante algumas ações de alto perfil do grupo no ano passado, como os atentados em Paris, Bruxelas, Istambul e Bangladesh, assim como a derrubada de um avião de passageiros russo e os atentados suicidas contra manifestantes em Ancara.

Segundo Cook, o porta-voz do EI coordenou combatentes e promoveu ataques de "lobos solitários" contra civis e militares, participando ativamente nas campanhas de recrutamento para o grupo jihadista.

Após a morte de Al-Adnani, no final do mês passado, a Rússia declarou ser responsável pelo ataque, o que funcionários do Pentágono qualificaram de "brincadeira".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias