EUA

Diretor da CIA diz que Trump não tem ''completa apreciação'' da Rússia

O diretor da Cia disse que o presidente eleito dos EUA não pode subestimar a Rússia

Estadão Conteúdo Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 15/01/2017 às 18:20
Foto: JOE RAEDLE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
O diretor da Cia disse que o presidente eleito dos EUA não pode subestimar a Rússia - FOTO: Foto: JOE RAEDLE / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
Leitura:

O diretor da agência de inteligência dos Estados Unidos, a CIA, John Brennan, afirmou neste domingo (15) que o presidente eleito do país, Donald Trump, não pode subestimar a Rússia, embora tenha dito também não acreditar que Trump tenha uma "completa apreciação" das capacidades da Rússia.

"Eu não acho que ele tenha uma completa apreciação das capacidades da Rússia, das intenções da Rússia e das ações que eles podem tomar em muitas partes do mundo", afirmou Brennan. "Ele tem de estar consciente de que ele ainda não tem uma completa apreciação ou entendimento das implicações que tomar este caminho pode ter", acrescentou.

Em entrevista ao The Wall Street Journal na semana passada, Trump sugeriu que está aberto a retirar as sanções contra a Rússia em sua promessa de ter uma nova relação diplomática com o governo russo. 

Administração "realista"

O vice-presidente eleito, Mike Pence, disse à emissora de televisão CBS que a nova administração terá de ser "realística" sobre a possibilidade de melhorar as relações com a Rússia. Enquanto isso, o conselheiro de Trump para a segurança nacional enfrenta um novo escrutínio sobre seus laços com a Rússia depois que assessores Trump confirmaram que ele se comunicou com o embaixador russo nos EUA, ao mesmo tempo em que a Casa Branca preparava novas sanções contra a Rússia.

Pence disse que as discussões entre o aposentado general Michael Flynn, a escolha de Trump para assessor de segurança nacional, e o embaixador russo Sergei Kislyak, no final de dezembro, "não tinham nada a ver" com as ações contemporâneas dos EUA contra a Rússia.

Últimas notícias