TREMOR

Terremoto nas Filipinas deixa mortos e feridos

As equipes de resgate trabalhavam neste sábado (11) à procura de sobreviventes após um terremoto que matou ao menos seis pessoas e fez centenas de feridos

AFP
AFP
Publicado em 11/02/2017 às 8:13
Foto: ERWIN MASCARINAS / AFP
As equipes de resgate trabalhavam neste sábado (11) à procura de sobreviventes após um terremoto que matou ao menos seis pessoas e fez centenas de feridos - FOTO: Foto: ERWIN MASCARINAS / AFP
Leitura:

As equipes de resgate trabalhavam neste sábado (11) à procura de sobreviventes após um terremoto de 6,5 de magnitude, que matou pelo menos seis pessoas, fez centenas de feridos e causou grande destruição no sul das Filipinas.

Os habitantes da cidade costeira de Surigao, na ilha de Mindanao, passaram a noite aterrorizados pelas réplicas ocorridas após o terremoto principal, registrado na noite de sexta-feira (10), quando muitas pessoas já estavam dormindo.

"Eu pensei que era o fim do mundo. O asfalto nas ruas cedeu", relatou um morador, Carlos Canseco, à televisão ABS-CBN.

Mindanao está localizada cerca de 700 quilômetros a sudeste de Manila, a capital das Filipinas.

O chefe de operações de gestão de desastres da província, Ramon Gotinga, informou que o terremoto também provocou ao menos 126 feridos, incluindo 15 gravemente

A maioria das vítimas nas Filipinas foram mortas atingidas por objetos

A maioria das vítimas foram mortas atingidas por objetos, mas um homem foi soterrado no andar superior de sua casa, que desabou, e uma mulher idosa morreu de um ataque cardíaco, indicou.

O terremoto de 6,5 graus ocorreu a 27 quilômetros de profundidade, de acordo com o Instituto Geológico americano USGS. Seu epicentro foi no mar, 14 km ao norte de Surigao, segundo o Escritório Sismológico das Filipinas.

O Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico não emitiu um alerta.

Mas milhares de pessoas aterrorizadas fugiram para as montanhas, temendo que uma onda gigante engolisse a cidade costeira de 152.000 habitantes. Outros passaram a noite em estacionamentos ou em outros lugares ao ar livre.

Gotinga declarou neste sábado que os habitantes da localidade ainda estavam muito assustados. "Eles estão traumatizados. A cada réplica, eles correm para as ruas", disse o oficial.

Muitos edifícios na cidade de Surigao foram afetados. Uma ponte desabou e outras duas foram danificadas, e a pista do aeroporto de Surigao foi fissurada, o que resultou no desvio dos voos, segundo informações da Defesa Civil.

A eletricidade em Surigao e em seus arredores foi cortada, mas já começou a ser restabelecida parcialmente.

Um professor universitário, Rocks Tumadag, declarou à AFP que tremores secundários continuaram a ser sentidos na ilha horas após o terremoto.

"Houve pânico nas ruas", disse ele, acrescentando que muitos edifícios foram danificados e detritos estavam espalhados pelas ruas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias