Lava Jato

Peru embarga US$ 25 milhões em bens da Odebrecht

Embargo dos bens da Odebrecht foi aplicado a terrenos que a empresa possui no norte do Peru, onde desenvolve um projeto de irrigação

AFP
AFP
Publicado em 17/02/2017 às 22:57
Divulgação
Embargo dos bens da Odebrecht foi aplicado a terrenos que a empresa possui no norte do Peru, onde desenvolve um projeto de irrigação - FOTO: Divulgação
Leitura:

O organismo de fiscalização tributária do Peru ordenou o embargo de propriedades e contas bancárias por 80 milhões de soles (uns 25 milhões de dólares) da Odebrecht, firma que reconhece o pagamento de subornos milionários do país.

A disposição foi confirmada à AFP por uma fonte da Superintendência Nacional de Administração Tributária e Alfandegárias (Sunat). Segundo detalhou na sexta-feira o portal investigativo Ojo-Público, o Código Tributário permite esse tipo de tomada decisão quando o comportamento do endividado faz presumir que a cobrança não será paga ou que poderá ocultar seus ativos ou manipular sua contabilidade.

A medida é adotada no contexto de investigação pelo Ministério Público. Devido ao tamanho da companhia, que se instalou no Peru em 1979, a Sunat a colocou na lista de principais contribuintes do Peru.

De acordo com o portal Ojo-Público, o montante total do embargo a todas as companhias brasileiras envolvidas no pagamento de subornos em troca de obras no Peru, no caso conhecido como "Lava Jato", ultrapassa os 75 milhões de dólares.

O embargo à Odebrecht foi aplicado a terrenos que a empresa possui no norte do Peru, onde desenvolve um projeto de irrigação.

Enquanto isso, o Ministério Público, que investiga os desdobramentos da 'Lava Jato' no Peru, informou ter solicitado à justiça uma reparação civil provisória de 200 milhões de soles (cerca de 60 milhões de dólares) pelos casos de pagamentos de subornos reconhecidos pela Odebrecht, a funcionários públicos do Peru.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias