Religião

Perante líderes muçulmanos, papa pede fim da violência em nome de Deus

O papa também se posicionou contra a instrumentalização da religião por parte de projetos de poder

ABr
ABr
Publicado em 28/04/2017 às 15:25
Foto: AFP Arquivos
O papa também se posicionou contra a instrumentalização da religião por parte de projetos de poder - FOTO: Foto: AFP Arquivos
Leitura:

O papa Francisco pediu, em discurso feito a líderes muçulmanos reunidos no Cairo nesta sexta-feira (28), que digam "um não forte e claro" a toda violência cometida em nome de Deus e alertou contra a "instrumentalização" da religião por parte de projetos de poder. As informações são da agência espanhola EFE.

Não à violência

"Vamos repetir um 'não' forte e claro a qualquer forma de violência, vingança e ódio cometido em nome da religião ou em nome de Deus", disse o pontífice na Conferência Internacional de Paz, que termina hoje na capital egípcia.

O papa também advertiu nesse fórum organizado pela Universidade islâmica de Al-Azhar, instituição de referência para os muçulmanos sunitas, que os responsáveis religiosos precisam "desmascarar a violência que se disfarça de suposta sacralidade".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias