MANIFESTAÇÕES

Mais mortes são confirmadas em protestos na Venezuela

A última vítima foi Manuel Castellanos, um comerciante de 48 anos baleado no pescoço por membros da Guarda Nacional, segundo o Ministério Público

AFP
AFP
Publicado em 18/05/2017 às 21:42
Foto: FEDERICO PARRA / AFP
A última vítima foi Manuel Castellanos, um comerciante de 48 anos baleado no pescoço por membros da Guarda Nacional, segundo o Ministério Público - FOTO: Foto: FEDERICO PARRA / AFP
Leitura:

A Procuradoria venezuelana confirmou nesta quinta-feira (18) a morte de um homem na véspera, durante protestos contra o presidente Nicolás Maduro no estado de Táchira, o que eleva a 44 o número de óbitos em sete semanas de manifestações. A última vítima foi Manuel Castellanos, um comerciante de 48 anos baleado no pescoço por membros da Guarda Nacional, segundo o Ministério Público. 

Castellanos "se encontrava em um mercado de Tucapé, município de Cárdenas [oeste], onde manifestantes montavam uma barricada, quando membros da Guarda Nacional realizaram vários disparos e um o atingiu", revelou o organismo.

Segundo o Ministério Público, três membros da Guarda Nacional foram detidos devido à morte do comerciante.

QUASE DOIS MESES

Os protestos contra Maduro começaram em 1º de abril, com a exigência de eleições gerais para superar a crise política e econômica. As manifestações prosseguiram nesta quinta-feira com uma passeata em direção ao centro de Caracas, dispersada com bombas de gás lacrimogêneo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias