EUA

Coreia do Norte desrespeita a China com disparo de míssil, diz Trump

Declarações foram feitas em sua conta no Twitter

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 29/05/2017 às 14:10
Foto: AFP
Declarações foram feitas em sua conta no Twitter - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

"A Coreia do Norte demonstrou grande desrespeito por seu principal vizinho, a China, ao disparar outro míssil balístico... Mas a China está tentando ser forte!", escreveu o presidente republicano, Donald Trump, em seu perfil no Twitter.

No domingo (28), o regime de Pyongyang fez um disparo com um míssil de curto alcance que caiu na zona marítima econômica do Japão, segundo autoridades dos países vizinho e dos Estados Unidos.

O projétil, um míssil do tipo Scud, foi lançado da cidade costeira de Wonsan e voou cerca de 450 quilômetros, afirmaram os Estado Maior sul-coreano. Segundo o chefe de gabinete do governo japonês, Yoshihide Suga, ele não atingiu nenhum navio ou avião que passava pelo local.

Lançamentos

Este é o último de uma série de lançamentos feitos pelo regime norte-coreano na região, que busca construir um míssil capaz de levar uma ogiva nuclear até os Estados Unidos.

Apesar de ainda não ter capacidade comprovada para produzir esse tipo de artefato, a Coreia do Norte tem um arsenal confiável de mísseis de curto alcance - algo que os cientistas norte-coreanos também estão aperfeiçoando. Isso significa que Pyongyang pode estar utilizando esse tipo de teste para mostrar aos EUA que podem atingir tanto alvos próximos quanto longínquos, um gesto de desafio que é corroborado por ameaças vagas contra Washington e seus aliados próximos.

Os mísseis Scud podem atingir tropas norte-americanas na Coreia do Sul, por exemplo. Outros dois tipos de mísseis exibidos também este ano têm potencial de atingir alvos no Japão, na Ilha Guam e, segundo alguns analistas, até no Alasca. (Marcelo Osakabe(Marcelo Osakabe, com informações da Associated Press).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias