PARIS

França apreende 137 quilos da "droga dos jihadistas" em aeroporto

As cargas procediam da Líbia e estavam escondidas em paredes de containers

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 30/05/2017 às 15:55
Foto: Eric Feferberg/AFP
As cargas procediam da Líbia e estavam escondidas em paredes de containers - FOTO: Foto: Eric Feferberg/AFP
Leitura:

Cerca de 137 quilos de captagon, considerada "a droga dos jihadistas", foram interceptados pela primeira vez na França no aeroporto de Charles de Gaulle em duas ocasiões nos meses de janeiro e fevereiro, informou nesta terça-feira (30) a Alfândega francesa. A informação é da agência EFE.

As duas cargas, interceptadas em 4 de janeiro e 22 de fevereiro, respectivamente, procediam da Líbia e estavam escondidas em paredes de containers. O captagon (cloridrato de fenetilina), é um psicoestimulante criado no final dos anos 50 e consumido especialmente no Oriente Médio, informaram as autoridades francesas.

Este tipo de entorpecente é conhecido por ser a droga utilizada pelos jihadistas para esquecer a dor e o medo antes de cometer atentados, segundo especialistas. Apesar de não ser muito utilizada na Europa, o captagon é uma das drogas mais populares no Oriente Médio, onde é produzida massivamente, principalmente na Síria e no Líbano.

Era remédio

Na sua origem, o captagon começou como um medicamento de uso geriátrico e pediátrico, proibido em 1986, mas que seguiu sendo produzido de maneira clandestina. Na primeira apreensão no aeroporto de Paris, havia 350 mil comprimidos (cerca de 70 quilos) da droga, enquanto o peso do segundo, interceptado em 22 de fevereiro, foi de 67 quilos.

O valor dos 137 quilos expropriados pelos agentes rondaria 1 milhão e meio de euros no mercado ilegal, segundo a Alfândega francesa. Atoridades tchecas, alemãs e francesas estão cooperando para "identificar os destinatários das cargas na República Tcheca".

Segundo os investigadores, as cargas teriam como destino final a Arábia Saudita, passando também pela Turquia. A análise realizada em laboratório corroborou que os comprimidos apreendidos "contêm anfetamina e teofilina".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias