CRISE

Irã pede diálogo para resolver crise com Catar

O ministro de Relações Exteriores do Irã destacou prudência e respeito às fronteiras internacionais para alcançar a integridade nacional

ABr
ABr
Publicado em 05/06/2017 às 15:03
Foto: AFP
O ministro de Relações Exteriores do Irã destacou prudência e respeito às fronteiras internacionais para alcançar a integridade nacional - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O governo iraniano afirmou nesta segunda-feira (5) que a única forma de solucionar a crise entre o Catar e outros países árabes é mediante "um diálogo transparente e franco". Em comunicado, o Ministério de Exteriores iraniano indicou que "a atual ruptura entre Catar e várias nações árabes não beneficia nenhum país do Oriente Médio". A informação é da agência EFE.

"Os vizinhos do Irã devem resolver este assunto por meios políticos e pacíficos", disse o porta-voz de Exteriores iraniano, Bahram Qasemi. Ele expressou a preocupação do Executivo em Teerã com aumento da tensão na região e disse ter esperanças de que as diferenças sejam resolvidas "o mais rápido possível".

"A República Islâmica do Irã faz um apelo a todos os países vizinhos que participam da atual disputa para que estudem as amargas experiências da região", acrescentou Qasemi, citando como problemas do Oriente Médio o terrorismo e a ocupação israelense da Palestina.

Ele pediu para que os países em questão se abstenham de "reações emocionais" e mostrem "prudência e contenção para aliviar a crise. A manutenção da soberania nacional e a integridade territorial dos Estados independentes, a não ingerência nos seus assuntos internos e o respeito às fronteiras internacionais reconhecidas (...) ser devem respeitado por todas as partes", destacou.

Ruptura

Arábia Saudita, Egito, Bahrein, Emirados Árabes, Iêmen e Líbia romperam hoje relações diplomáticas com o Catar, país acusado de apoiar o terrorismo e ameaçar sua segurança e estabilidade. O Catar é parte do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) junto com Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Arábia Saudita, Kuwait e Omã, sendo que os três primeiros mantêm relações tensas com o Irã.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias