Teerã

Ataques contra Parlamento e mausoléu no Irã deixam mortos

Ao menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira (7) nos dois ataques em Teerã

AFP
AFP
Publicado em 07/06/2017 às 6:06
Foto: ATTA KENARE / AFP
Ao menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira (7) nos dois ataques em Teerã - FOTO: Foto: ATTA KENARE / AFP
Leitura:

Ao menos cinco pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta quarta-feira (7) em dois ataques em Teerã, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI), cometidos em dois locais altamente simbólicos: o Parlamento e o mausoléu do aiatolá Khomeini, fundador da República Islâmica do Irã.

Um segurança e outra pessoa morreram depois que quatro homens armados invadiram o Parlamento, no centro da capital iraniana.

Um dos criminosos detonou explosivos presos ao corpo no quarto andar do edifício, durante a intervenção da polícia.

Durante o ataque, um dos agressores seguiu para avenida ao lado da Câmara dos Deputados e abriu fogo contra os transeuntes. As forças de segurança atiraram e o homem retornou para o edifício.

Os deputados, no entanto, não interromperam a sessão, comandada pelo presidente do Parlamento, Ali Larijani.

Em outro ataque coordenado, vários homens armados invadiram o mausoléu do aiatolá Ruhollah Khomeini, que fica a 20 km de distância, na zona sul de Teerã.

Um funcionário do mausoléu afirmou que "três ou quatro" pessoas entraram pelo acesso oeste do edifício e abriram fogo. Eles mataram um jardineiro e feriram várias pessoas, de acordo com a agência FARS. 

Dois agressores - um deles uma mulher - detonaram cargas explosivas do lado de fora do monumento, segundo as agências de notícias. 

Pouco depois dos ataques, o grupo Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria por meio de sua agência de propaganda. 

"Combatentes do EI atacaram o mausoléu Khomeini e o prédio do Parlamento em Teerã", afirmou a Amaq, que citou uma "fonte de segurança".

Os serviços de emergência receberam 33 pessoas e informou que duas pessoas não resistiram aos ferimentos. 

 Reunião urgente 

As agências de notícias divulgaram nas redes sociais imagens dos ataques.

Equipes das forças de segurança foram enviadas para as áreas ao redor dos locais atacados. Estações de metrô foram fechadas.

O ministro do Interior, Abdolreza Rahmani Fazli, convocou uma reunião urgente do conselho nacional de segurança, de acordo com agência ISNA.

O Serviço Secreto informou que outro grupo de "terroristas" foi neutralizado em Teerã antes de passar à ação.

Atentados deste tipo são raros em Teerã. Os últimos aconteceram nos anos posteriores à revolução islâmica de 1979, executados em sua maioria pela organização armada Mujahedines do Povo.

Apesar de alguns ataques em regiões próximas às fronteiras com Iraque, Afeganistão e Paquistão, executados por grupos jihadistas, entre eles o EI, os grandes centros urbanos do Irã haviam permanecido à margem deste tipo de violência até agora.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias