ATAQUES

Irã prossegue com a busca de envolvidos nos atentados em Teerã

Várias dezenas de extremistas, membros ou vinculados ao Estado Islâmico, foram detidos ou mortos, de acordo com a imprensa

AFP
AFP
Publicado em 12/06/2017 às 7:36
Foto: ATTA KENARE / AFP
Várias dezenas de extremistas, membros ou vinculados ao Estado Islâmico, foram detidos ou mortos, de acordo com a imprensa - FOTO: Foto: ATTA KENARE / AFP
Leitura:

A busca de supostos cúmplices dos autores dos atentados de 7 de junho em Teerã prossegue no Irã, onde várias dezenas de extremistas, membros ou vinculados ao grupo Estados Islâmico (EI), foram detidos ou mortos, de acordo com a imprensa.

No domingo, quatro integrantes do EI morreram "durante confrontos com as forças de segurança" no sul do Irã, informou a agência Isna.

"Dois são estrangeiros", afirmou o general Azizollah Maleki, comandante das forças de segurança da província de Hormuzgan (sul), citado pela Isna, sem revelar sua nacionalidade. Armas e uma bandeira do EI foram apreendidas. 

O ministro da Inteligência, Seyyed Mahmud Alavi, já havia anunciado que o suposto "cérebro e comandante" dos atentados foi morto depois de fugir do país. 

Mas ele não revelou a identidade do homem, o local exato nem as circunstâncias da morte, assim como o que levou as autoridades a estabelecer que ele era o "cérebro" dos atentados. 

O ministério da Inteligência anunciou na sexta-feira a detenção de 41 pessoas em Teerã e nas províncias de Kermanshah, do Curdistão e do Azerbaijão Ocidental, todas próximas das fronteiras com o Iraque e a Turquia. 

Desde então, vários outros suspeitos foram detidos em diversas províncias. 

O ministro Mahmudi Alavi afirmou que quase "25 grupos terroristas foram desmantelados" desde o início do ano iraniano, em 21 de março. 

"Estamos surpresos, porque nos anos anteriores desmantelávamos dois grupos por mês, mas desde o início do ano é praticamente um por dia", afirmou Alavi. 

Mortes em Teerã

Dezessete pessoas morreram e dezenas ficaram feridas no ataque executado por homens armados e homens-bomba na quarta-feira passada contra o Parlamento e o mausoléu do aiatolá Khomeini em Teerã, os primeiros atentados reivindicados pelo EI no Irã. Os cinco criminosos foram mortos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias