Brexit

Tusk considera possível a permanência do Reino Unido na União Europeia

O Reino Unido poderia finalmente não deixar a UE, afirmou nesta quinta-feira (22) um ''sonhador'' presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk

AFP
AFP
Publicado em 22/06/2017 às 9:54
Foto: JOHN THYS / AFP
O Reino Unido poderia finalmente não deixar a UE, afirmou nesta quinta-feira (22) um ''sonhador'' presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk - FOTO: Foto: JOHN THYS / AFP
Leitura:

O Reino Unido poderia finalmente não deixar a União Europeia (UE), afirmou nesta quinta-feira (22) um "sonhador" presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, horas antes de uma reunião de cúpula com a participação da primeira-ministra britânica Theresa May.

"Alguns dos meus amigos britânicos me perguntaram se era possível reverter o Brexit e se eu poderia imaginar um resultado em que o Reino Unido continuasse a fazer parte da UE", disse Tusk à imprensa.

Sua resposta foi que, "de fato, a União Europeia foi construída a partir de sonhos que pareciam impossíveis de alcançar". "Então, quem sabe?", apontou o responsável pela coordenação dos 28 líderes europeus.

E, retomando as palavras da famosa canção "Imagine" de John Lennon, acrescentou: "Você pode dizer que sou um sonhador, mas eu não sou o único".

Negociações do Brexit

Quase um ano após a vitória da saída do Reino Unido da UE em um referendo, as negociações começaram formalmente na segunda-feira para chegar a um acordo de divórcio.

Nesta primeira rodada, o Reino Unido aceitou o cronograma e as prioridades dos europeus no processo: fatura a pagar por Londres pelos compromissos firmados, direitos dos cidadãos europeus em solo britânico e vice-versa e a fronteira na ilha da Irlanda.

Em relação aos direitos, uma enfraquecida Theresa May, que perdeu a maioria absoluta no Parlamento em eleições antecipadas convocadas com o objetivo de reforçar sua posição, apresenta nesta quinta-feira aos seus pares a oferta britânica.

Se os prazos forem cumpridos, o Reino Unido se tornará em março de 2019 o primeiro país a abandonar o projeto europeu em seis décadas de existência.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias