Conflito

Assad levou alerta de Trump 'a sério', diz Pentágono

O governo americano advertiu que, "se Assad cometer outro assassinato em massa com um ataque de armas químicas, ele e seus militares pagarão".

AFP
AFP
Publicado em 28/06/2017 às 12:47
Foto: Arquivos/AFP
O governo americano advertiu que, "se Assad cometer outro assassinato em massa com um ataque de armas químicas, ele e seus militares pagarão". - FOTO: Foto: Arquivos/AFP
Leitura:

A advertência do presidente americano, Donald Trump, a seu colega sírio, Bashar al-Assad, contra um eventual ataque químico parece ter funcionado - declarou o secretário americano da Defesa, Jim Mattis, nesta quarta-feira (28).

"Parece que levaram a sério a advertência", disse Mattis aos jornalistas, referindo-se ao governo do presidente Bashar al-Assad, a caminho de uma reunião ministerial com seus colegas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), nesta quinta (29), em Bruxelas.

Na segunda-feira, o governo americano advertiu que, "se Assad cometer outro assassinato em massa com um ataque de armas químicas, ele e seus militares pagarão um preço alto", segundo o porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer.

Os serviços de Inteligência dos Estados Unidos teriam detectado preparativos similares aos realizados pelo governo Assad antes do ataque químico contra uma cidade controlada por rebeldes em 4 de abril passado.

"Acho que o presidente, falando sobre isso, diz o quão seriamente nós os levamos. Queríamos dissuadi-los", acrescentou Mattis.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias