ameaças de represálias

China pede resolução pacífica da questão nuclear na Coreia do Norte

A China pediu que se evitem as palavras e os atos capazes de agravar a tensão na Coreia do Norte após Trump ameaçar o país com ''fogo e fúria''

AFP
AFP
Publicado em 09/08/2017 às 10:21
Foto:JUNG YEON-JE / AFP
A China pediu que se evitem as palavras e os atos capazes de agravar a tensão na Coreia do Norte após Trump ameaçar o país com ''fogo e fúria'' - FOTO: Foto:JUNG YEON-JE / AFP
Leitura:

A China pediu nesta quarta-feira (9) que se evitem as palavras e os atos capazes de agravar a tensão na península coreana, no dia seguinte em que o presidente Donald Trump ameaçou com "fogo e fúria" a Coreia do Norte.

"A parte chinesa convida a todas as partes a continuar no caminho de uma resolução pacífica da questão nuclear na península coreana e evitar palavras e atos suscetíveis de intensificar as contradições e agravar a situação", afirmou o chanceler chinês em declarações à AFP.

"A situação atual na península coreana é complicada e delicada", assinalou o ministério, em resposta a uma pergunta sobre as declarações do presidente americano ante jornalista.

Pequim, principal aliado do regime de Kim Jong-Un, pede, em consequência, que as "partes façam mais esforços para incentivar uma solução através do diálogo".

Trump e autoridades norte-coreanas

Na véspera, Donald Trump e as autoridades norte-coreanas trocaram ameaças de represálias militares e o presidente americano prometeu responder com "fogo e fúria" às ações de Pyongyang.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias