Crise na Venezuela

Líder opositor russo diz que Putin financia regime de Maduro

Alexei Navalny afirmou que Vladimir Putin não tem intenção de recuperar US$ 8,8 bi concedidos ao governo venezuelano

Agência Brasil
Agência Brasil
Publicado em 16/08/2017 às 19:34
Foto: AFP
Alexei Navalny afirmou que Vladimir Putin não tem intenção de recuperar US$ 8,8 bi concedidos ao governo venezuelano - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O líder opositor russo Alexei Navalny afirmou nesta quarta-feira (16) que o presidente do país, Vladimir Putin, financia o regime de Nicolás Maduro na Venezuela e não tem intenção de recuperar os US$ 8,8 bilhões concedidos a Caracas. "Eles (o governo russo) que digam o que quiserem, mas todos entendemos que se trata de repasses a fundo perdido para o regime de Maduro", escreveu Navalny em seu blog. A informação é da EFE.

Sobre os US$ 2,8 bilhões concedidos pela Rússia à Venezuela em 2011, que, de acordo com a última reestruturação da dívida aprovada, deverão ser pagos até 2019, Navalny disse que é um "fato" que o Kremlin não irá recuperar esse dinheiro.

"A Audiência de Contas russa disse oficialmente que esse crédito já nos gerou perdas de 54 bilhões de rublos (US$ 905 milhões)", completou o líder opositor, que pretende ser candidato à presidência da  Rússia no próximo ano, apesar das autoridades terem proibido que ele dispute o pleito por causa de seus antecedentes criminais.

Além disso, na semana passada, a petroleira estatal russa Rosneft repassou à Venezuela cerca de US$ 6 bilhões, como adiantamento pelo fornecimento de petróleo até 2019. O presidente da Rosneft, Igor Sechin, um dos líderes empresariais mais próximos de Putin, afirmou que a Venezuela tem as maiores reservas de hidrocarbonetos do mundo.

"Como eu sempre disse, nunca sairemos de lá e ninguém poderá nos tirar", disse Sechin antes de antecipar o dinheiro para Caracas.

Petróleo por alimentos

A ajuda russa à Venezuela, que sofre uma grave crise política e social, não se limita aos créditos e aos adiantamentos. O Kremlin anunciou hoje o envio de um primeiro carregamento de 30,5 mil toneladas de grãos à Venezuela. A carga partirá do porto de Novorossiysk, no sul do país.

É a primeira vez que a Rússia exporta grãos para a Venezuela, que tradicionalmente compra esse produto dos Estados Unidos e do Canadá.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias