DIPLOMACIA

Pentágono dá 'apoio total' a esforços diplomáticos com Coreia do Norte

Paralelamente, o exército americano "está concentrando seus esforços na defesa dos Estados Unidos e de seus aliados"

AFP
AFP
Publicado em 03/10/2017 às 13:30
Foto: AFP
Paralelamente, o exército americano "está concentrando seus esforços na defesa dos Estados Unidos e de seus aliados" - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Jim Mattis, expressou nesta terça-feira o "apoio total" do Pentágono aos esforços do chefe da diplomacia, Rex Tillerson, para encontrar uma solução diplomática para a crise com a Coreia do Norte por seu programa balístico e nuclear.

Paralelamente, o exército americano "está concentrando seus esforços na defesa dos Estados Unidos e de seus aliados", acrescentou Mattis, ao discursar para a Comissão das Forças Armadas do Senado.

Mattis pareceu contradizer o presidente Donald Trump, que disse no domingo (1º) que dialogar com Pyongyang seria "perda de tempo".

Perguntado sobre isso, o chefe do Pentágono garantiu que no governo americano não havia "discrepâncias" sobre a questão norte-coreana. 

"As instruções que o presidente Trump deu a Tillerson e a mim são muito claras: devemos continuar os esforços diplomáticos com diversas iniciativas com a China e impulsionar sanções, sanções econômicas para manter tudo isso no contexto diplomático", disse.

Quanto aos canais de comunicação com Pyongyang, "tudo o que fazemos é sondá-los. Nós não discutimos com eles", acrescentou.

A Casa Branca descartou nesta segunda-feira o diálogo com Pyongyang, exceto para facilitar o retorno de americanos detidos pelo regime de Kim Jong-Un, deixando de lado novamente a abertura de "canais de comunicação" entre ambos os países sugerida por Tillerson no sábado (30). 

Diferenças

Não é a primeira vez que Trump, que ameaçou nos últimos dias a Coreia do Norte com sua "destruição total", parece expressar uma postura que diverge da apresentada por membros de seu governo sobre o assunto. 

No final de agosto, dia seguinte do lançamento por parte de Pyongyang de um mÍssil que sobrevoou o Japão, o presidente disse que discutir com a Coreia do Norte "não era a solução". 

Horas mais tarde, o próprio Mattis disse que as soluções diplomáticas nunca seriam desconsideradas.

Washington, com apoio da maior parte da comunidade internacional, considera inaceitável o programa balístico e nuclear de Pyongyang, o que nas últimas semanas deu lugar a uma escalada verbal entre Trump e Kim, que alguns temem que resulte em ações militares.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias