EUA

Trump diz que acabará com loteria do Green Card após atentado em NY

O programa outorga aleatoriamente vistos de residência permanente a 50.000 solicitantes de todo o mundo a cada ano

AFP
AFP
Publicado em 01/11/2017 às 16:06
Foto: AFP
O programa outorga aleatoriamente vistos de residência permanente a 50.000 solicitantes de todo o mundo a cada ano - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira (1º) que acabará com o programa de atribuição de vistos de residência (Green Card) por loteria, após o atentado em Nova York que deixou oito mortos e que chamou de "horripilante".

"Estou iniciando o processo para acabar com o 'Programa da Loteria de Vistos da Diversidade'", disse Trump a jornalistas, acrescentando que "certamente consideraria" enviar à prisão de Guantánamo, em Cuba, o autor do atentado de terça-feira (31), a quem chamou de "animal".

"Temos que fazer o certo para proteger nossos cidadãos", enfatizou o presidente, pedindo que sejam "mais rígidos", "mais inteligentes" e "muito menos politicamente corretos" com relação ao tema migratório.

"Iremos nos desfazer desse programa de loteria o quanto antes possível", acrescentou, no início de uma reunião de gabinete.

Este programa de 1990 outorga aleatoriamente vistos de residência permanente a 50.000 solicitantes de todo o mundo a cada ano, com a possibilidade de que os membros de famílias se unam, o que se conhece como migração em cadeia.

Segundo Trump, o homem que lançou uma caminhonete contra ciclistas e pedestres em uma ciclovia de Manhattan na terça-feira, identificado como Sayfullo Saipov, originário do Uzbequistão, vivia nos Estados Unidos desde 2010 graças a esse programa.

Saipov foi preso depois de ser atingido por disparos da Polícia, e as autoridades disseram que ele planejou o ataque durante semanas, realizado em nome do grupo extremista Estado Islâmico (EI), seguindo instruções publicadas na Internet.

"A minha administração está em estreita coordenação com funcionários federais e locais para investigar o ataque e este animal que o executou", disse Trump, assegurando que o mandaria ao centro de detenção da Baía de Guantánamo.

"Certamente consideraria enviá-lo a Gitmo", disse, usando o 'apelido' da prisão.

Guantánamo se tornou famosa quando se tornou o presídio dos combatentes islamitas capturados no Afeganistão após a invasão liderada pelos Estados Unidos depois dos atentados de 11 de setembro de 2001.

O fim do "Programa da Loteria de Vistos da Diversidade" seria outro golpe para os que aspiram a imigrar aos Estados Unidos.

Trump já cortou o fluxo anual de refugiados ao país em mais de 50%, restringiu a emissão de vistos em todo o mundo e tentou proibir a entrada de turistas de 11 países, grande parte deles com populações de maioria muçulmana. O Uzbequistão não está entre os 11.

O programa migratório que Trump quer acabar aponta para a diversificação das origens dos residentes permanentes nos Estados Unidos. Em 2015, a loteria de Green Cards recebeu mais de 14 milhões de solicitações e concedeu 49.377 permissões de residência, entre eles para 2.524 uzbeques.

Trump disse querer que a imigração aos Estados Unidos seja por um "sistema baseado no mérito", sem a possibilidade de incluir as famílias estendidas.

"Queremos nos desfazer da migração em cadeia", destacou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias