TARIFAS

Trump promete cancelar tarifas de aço e alumínio se tiver Nafta justo

Para Donald Trump, o Nafta foi um acordo ruim para os EUA

Julia Aguilera
Julia Aguilera
Publicado em 05/03/2018 às 14:45
Foto: AFP
Para Donald Trump, o Nafta foi um acordo ruim para os EUA - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (5) que reconsideraria a proposta muito controversa de impôr tarifas aduaneiras elevadas sobre o aço e o alumínio, desde que se alcance um novo Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta) "justo". 

"Temos grandes déficits com México e Canadá. O Nafta, que atualmente está em renegociação, foi um acordo ruim para os Estados Unidos, com grande deslocamento de empresas e empregos. As tarifas ao aço e ao alumínio serão retirados unicamente se um novo acordo for assinado", escreveu Trump em sua conta no Twitter. 

"O Canadá também deveria tratar melhor nossos agricultores. É muito restritivo", acrescentou, após ter criticado várias vezes seu vizinho do norte, especialmente sobre sua produção de leite. 

"O México deve fazer muito mais para impedir que as drogas invadam os Estados Unidos. Não fizeram o que se deve fazer. Milhões de pessoas são viciadas e estão morrendo", acrescentou. 

Pouco depois, o chanceler mexicano, Luis Videgaray, também tuitou para responder que o enfrentamento ao tráfico de drogas é uma "responsabilidade compartilhada" entre México e Estados Unidos. 

"Nossa cooperação se guia por esse princípio", afirmou o chefe da diplomacia mexicana. 

"Apenas trabalhando juntos sobre a oferta e a demanda podemos encerrar o fluxo ilegal de drogas, dinheiro e armas entre nossos países", apontou Videgaray. 

Os três membros do Nafta - Estados Unidos, México e Canadá - se encontram em uma sétima e dura rodada de negociações, que deve terminar na segunda-feira. Trump já classificou esse acordo como desastroso para os Estados Unidos. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias