Peru

Novo presidente peruano anuncia que gabinete estará pronto em abril

Martín Vizcarra tomou posse como novo presidente do Peru após renúncia de Pedro Pablo Kuczynski às vésperas da votação do seu processo de impeachment

Luisa Farias
Luisa Farias
Publicado em 25/03/2018 às 16:33
Foto: LUKA GONZALES / AFP
Martín Vizcarra tomou posse como novo presidente do Peru após renúncia de Pedro Pablo Kuczynski às vésperas da votação do seu processo de impeachment - FOTO: Foto: LUKA GONZALES / AFP
Leitura:

O novo presidente do Peru, Martín Vizcarra, assinalou neste domingo (25) que o novo gabinete ministerial que o acompanhará será anunciado no início de abril, em suas primeiras declarações após assumir o cargo na sexta-feira, substituindo Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou.

"Dissemos (na sexta-feira) que precisávamos de um prazo de 10 dias. Dois dias se passaram, ou seja, em oito dias" o gabinete estará pronto, informou Vizcarra a jornalistas após visitar o Hospital Infantil de Lima, onde chegou sem avisar, para saber das necessidades deste emblemático centro de saúde do país.

Durante o que foi sua primeira atividade oficial, Vizcarra se recusou a dar detalhes sobre quem designará como primeiro-ministro "para não gerar especulação", disse. O presidente anunciou na sexta-feira, durante uma mensagem à nação no Congresso após sua posse, que renovaria todo o gabinete liderado pela segunda vice-presidente, Mercedes Aráoz, pelos últimos seis meses. Até que o primeiro gabinete de Vizcarra assuma, os 19 ministros que compõem o Conselho de Ministros continuam no cargo. O novo líder destacou em seu discurso que "colocaria todo o seu esforço para melhorar a saúde e a educação". 

Kuczynski

Vizcarra não quis comentar sobre a situação jurídica do ex-presidente Kuczynski, que, no sábado, foi proibido de deixar o país por 18 meses por ordem de um juiz no âmbito de uma investigação da Procuradoria por suposta lavagem de dinheiro. "Agora sou o presidente da República em exercício e não podemos dar opinião oficial", afirmou.

A Procuradoria também fez uma operação em duas casas do ex-presidente no sábado em busca de documentos que liguem as empresas Kuczynski à empreiteira Odebrecht.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias