IMIGRANTES

É preciso interromper fluxo de drogas e conter imigração na fronteira, diz Trump

Trump se referiu à chamada Caravana de imigrantes da América Central, evento que busca conscientizar sobre a difícil situação vivida pelos imigrantes

Túlio Feitosa
Túlio Feitosa
Publicado em 05/04/2018 às 9:35
Foto: Reprodução
Trump se referiu à chamada Caravana de imigrantes da América Central, evento que busca conscientizar sobre a difícil situação vivida pelos imigrantes - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira (5) que é preciso maior atenção em seu país para se interromper o fluxo de drogas e imigrantes ilegais a partir da fronteira com o México. Ele voltou a tratar do tema em sua conta no Twitter.

Caravana

Trump se referiu, na sua mensagem, à chamada Caravana de imigrantes da América Central, um evento simbólico celebrado anualmente coincidindo com a Semana Santa e que busca conscientizar sobre a difícil situação vivida pelos imigrantes. Alguns participantes costumam continuar até o norte mexicano, por contra própria, em busca de asilo nos EUA. Ontem, o governo mexicano informou que a procissão já começou a se dispersar. Alguns membros da Caravana conseguiram vistos de trânsito para tentar seguir até o território dos EUA, enquanto outros entraram com pedidos de visto humanitário para ficar no próprio México.

"A Caravana está em grande medida desarticulada graças às leis fortes de imigração do México e à disposição deles em usá-las para evitar uma cena gigante na nossa fronteira", afirmou Trump. Os organizadores da Caravana disseram anteriormente que nunca tiveram a intenção de chegar até a fronteira com os EUA. Segundo o presidente, o número de passagens fronteiriças em seu país está na mínima em 46 anos, mas esse patamar ainda é "inaceitável". "Parem as drogas!", afirmou ele em sua mensagem.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias