REPRESENTAÇÃO DIPLOMÁTICA

EUA: Pilotos americanos sofreram lesões por lasers chineses no Djibuti

Pentágono declarou que lasers foram apontados em base naval chinesa na África

Fillipe Vilar
Fillipe Vilar
Publicado em 03/05/2018 às 17:54
Foto: AFP
Pentágono declarou que lasers foram apontados em base naval chinesa na África - FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Cidadãos chineses direcionaram em múltiplas ocasiões lasers de grau militar contra pilotos americanos que operam em uma base em Djibuti, na África, declarou o Pentágono nesta quinta-feira (3).

As autoridades emitiram uma queixa diplomática formal e exigiram a Pequim que investigue uma série de incidentes que datam de várias semanas, disse a porta-voz Dana White.

"São incidentes muito graves", afirmou White, acrescentando que "representam uma verdadeira ameaça" para os pilotos.

Lesões

Em um caso, dois pilotos de um avião C-130 sofreram lesões leves nos olhos quando aterrissaram na base deste país do Chifre da África, assinalou à AFP outra porta-voz, a major Sheryll Klinkel. 

Localizada no aeroporto internacional de Djibuti, a base militar americana Camp Lemonnier é sua única instalação na África. É utilizada em grande medida para operações antiterroristas no leste da África e no Iêmen. 

A China abriu no ano passado uma base naval em Djibuti, a apenas alguns quilômetros das instalações americanas, no que é a primeira base no exterior das Forças Armadas de Pequim. 

White disse que estava "certa" de que quem direcionou os lasers de alta potência era chinês. Funcionários declararam ao jornal The Wall Street Journal que o laser provavelmente provinha da base chinesa.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias